segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Unaustralians

      No passado dia 19 de outubro um grupo atacou e destruiu o gabinete da Ministra de Assuntos Indígenas de Austrália, em Melbourne, com o lançamento de bombas de tinta.

      Aquele coletivo veio a público com o comunicado que a seguir se reproduz e cujo conteúdo é do interesse geral, muito para além do interesse particular concreto dos povos indígenas.
      «Atacamos o gabinete de Jenny Macklin, membro do Partido Trabalhista Australiano e Ministra de Assuntos Indígenas. Fizemos isso porque o governo australiano é um governo de ocupação e colonização contínua dos povos indígenas deste país. As nossas ações são ações de solidariedade com os povos indígenas que foram invadidos, cujas terras foram roubadas, que foram expulsos à força das suas terras, das suas famílias, cujas culturas e línguas sofreram danos irreversíveis e ainda estão sofrendo as contínuas ondas de ataques por parte do nosso governo colonial, neste mesmo gabinete de Assuntos Indígenas.
      Também realizamos este ataque porque, como cidadãos não-indígenas deste país, nos colocamos numa situação em que beneficiamos materialmente a colonização dos povos indígenas. Aprendemos a negar a realidade das origens da nossa riqueza material, como o “país afortunado”. O mito da sorte oculta a realidade da guerra e de ocupação, com base nas nossas vidas. Nascemos numa sociedade que nos diz que esta atividade colonial é uma coisa boa, que é “para nós”, que é “para eles”. Que a cultura materialista e capitalista é “boa” e “benéfica”.
      Aprendemos que todos merecem o “grande sonho australiano”, construído sobre as ruínas da guerra colonial. Mas o sonho é um mito. Agimos porque queremos romper a monotonia da sua existência. Não acreditamos que a comodidade material é a única qualidade que faz a vida “boa”. Agimos porque não acreditamos na superioridade cultural do capitalismo e rejeitamos a lógica missionária de assimilação dos povos indígenas para lhes dar uma vida “melhor”. Não acreditamos que uma vida baseada exclusivamente no consumo, vazia de verdadeira emoção, de comunidade, de individualidade e de alegria é a “melhor” forma de vida. Esta sociedade é tediosa, é vazia e insatisfatória. Está construída sobre uma rede de mentiras, dor e sofrimento, perseguida por memórias quase apagadas de formas de vida que perdemos.
      Rejeitamos essa cultura de negação. Rejeitamos esta sociedade que nos diz que devemos aceitar o papel que nos foi dado, seja de “oprimidos” ou “opressores”, “colonizados” ou “colonizadores”. Estamos contra a colonização. Estamos contra a assimilação do mundo na cultura capitalista da supremacia branca.
      Todo o mundo está resistindo a este sistema, todos os dias e em muitas formas diferentes, desde os aparentemente insignificantes, como cada vez que alguém rouba algo da loja “Woolworths”, sempre que não compra um bilhete no comboio, cada vez que desliga a televisão porque está farto de tanta merda sem sentido, até às greves comunitárias e lutas urbanas. Esta é uma forma que optamos não apenas para resistir, mas para intensificar a nossa resistência e as nossas vidas. Através desta ação estamos recuperando a nossa dignidade e declaramos que nos recusamos a ser cidadãos “obedientes” da Austrália colonial.»
      O comunicado está assinado pelos “Unaustralians”.


domingo, 30 de outubro de 2011

A Fome Subversiva

      «Pergunto-me em que tipo de sociedade vivemos; que democracia é essa que temos onde os corruptos vivem na impunidade e a fome das pessoas é considerada subversiva.»
      Ernesto Sábato, in “Antes do Fim” (1998).
      Escritor, ensaísta e artista plástico argentino nascido em 1911.

sábado, 29 de outubro de 2011

Rádio Libertaire

      Este fim de semana, a “Rádio Libertaire”, com sede em Paris, celebra o seu 30º aniversário de fundação.

      A celebração contará com uma jornada-festa anarquista no espaço Olympe de Gouges.
      Três décadas de esperanças libertárias, autogestão, federalismo, criatividade e liberdade de expressão; de voz poderosa e rebelde; divulgando lutas, pensamentos e música de todos os cantos e estilos, exceto música militar e música religiosa.
      Mesmo não estando em Paris, poderás ouvir todo o evento e mesmo participar nos debates sobre anarquismo e lutas sociais, sintonizando a rádio na Internet (segue a ligação permanente na coluna dos “Sítios a Visitar”).
      A “Rádio Libertaire” foi criada em 1981, durante um Congresso da Federação Anarquista (FA) francófona, que decidiu criar uma rádio livre em Paris. Antes da primeira transmissão em setembro de 1981, os anarquistas já tinham participado noutras experiências radiofónicas por toda a França, numa época em que o Estado tinha o monopólio das emissões. Anteriormente houve um movimento onde centenas de rádios piratas transmitiam para contestar este monopólio. Com a liberalização da radiodifusão, muitas rádios foram criadas, entre elas a Rádio Libertaire.
      «No início não tínhamos um projeto muito elaborado. A ideia era dotar-se de um instrumento de comunicação. Afinamos o projeto já com a rádio em funcionamento. Transmitíamos apenas algumas horas por dia e alguns dias da semana. Devagar a equipa foi-se reforçando. A aparelhagem de som que dispúnhamos, por exemplo, não era melhor do que uma destas que temos em casa. Pouco a pouco as exigências aumentaram e melhoramos o conteúdo e a forma das emissões. A princípio as instalações da rádio ficavam num cave, hoje fica no primeiro andar de um prédio em Paris.
      Atualmente a rádio tem mais de 80 animadores e técnicos. A programação é ampla, abarcando programas sobre música diversa, como hip hop, soul, funk, música experimental, música francesa, música do mundo, etc., e diversos assuntos como cultura africana, imigração, literatura, América Latina, sexualidade, esperanto, anarco-culinária, anarquismo, sindicalismo, feminismo, etc.
      A rádio transmite agora todos os dias, estando 24 horas no ar. Todos os programas têm total autonomia de organização técnica e de conteúdo. Existem quatro postos chaves na rádio: o do programador, o da tesouraria, da técnica e de relações públicas. O papel do coordenador é dialogar com as equipas em caso de problemas e fazer o necessário para que novas iniciativas de emissão se concretizem.
      Na rádio não se paga a ninguém para trabalhar, todos são voluntários e o dinheiro advém da generosidade dos ouvintes e de um fundo que atribui um subsídio anual vindo das rádios comerciais, de uma pequena parte da receita publicitária dessas rádios.
      Devido à falta de dinheiro, não é possível medir a audiência mas há noção da audição por muita gente, pelas cartas e telefonemas que recebidos.
      A rádio só atinge a região de Paris, porque a permissão “pública” não autoriza a emissão para outros lugares. A potência da rádio é de 4K.
      Hoje a Rádio Libertaire está legalizada. Mas em 1983 fomos proibidos de ir para o ar, pois não tínhamos autorização. Foi uma luta de vários meses para poder voltar. Houve mesmo uma manifestação em Paris com mais de 5.000 pessoas.
      Mais info na ligação permanente à rádio na coluna dos Sítios a Visitar, com o seguinte endereço: http://rl.federation-anarchiste.org/

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O Cão Anarquista

      Nos protestos gregos há um manifestante que detesta a polícia e chama-se “Loukánikos”, palavra que, em português, significa “salsicha”.
      O Salsicha é um cão, certamente anarquista, sempre na frente da batalha contra a polícia. É de todos conhecido pelo seu alinhamento junto dos manifestantes e pela sua presença constante em todas as manifestações, ao ponto de se ter tornado já uma celebridade, com direito ao cognome de “Cão Anarquista” e até a um blogue
      Loukánikos é um cão sem dono que vive nas ruas da capital grega. Na Grécia, ao contrário do que acontece noutros países, não se abatem os cães de rua, nem sequer são recolhidos para um canil. Os cães de rua são tratados, recebem vacinas e voltam a soltá-los, após a inserção de um “microchips” identificativo e a colocação de coleiras com um número de identificação e um número de telefone para onde se deverá ligar caso causem problemas.
      Anna Makri, dos serviços municipais de Atenas diz: «Na maioria dos países europeus, resolvem o problema (dos cães de rua) com eutanásia. Mas a cultura grega é contra isso. A nossa lei procura antes ir no sentido da reabilitação dos cães. As pessoas aqui tomam conta deles e amam-nos. São como que os cães de toda a gente.»

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A Revista Antipatriótica

      Por esta mesma altura de outubro mas do ano de 1884, saía em Paris o primeiro número da revista "La Revue Anti-patriote Révolutionnaire", uma publicação mensal de Georges Deherme que sairá apenas por dois números.

      Especula-se que esta revista poderá estar na origem da criação, em 1886, da “Liga dos Antipatriotas” ("Ligue des Anti-patriotes").
      Na revista podia ler-se: «Nunca cessaremos de fazer, por todo o lado e todos os dias, uma guerra firme aos preconceitos e àqueles que os mantêm, porque acreditamos que são eles que maiores entraves colocam ao prosseguimento da Revolução Social que travará esta sociedade baseada no assassinato legal e na exploração, substituindo-a por uma sociedade igualitária baseada na paz e no trabalho, onde cada um produzirá de acordo com a sua força e capacidade e poderá consumir de acordo com as suas necessidades, sendo esta a Sociedade Comunista Anarquista.»


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Atenção aos Utilizadores Google

      Na última edição do relatório da Transparência da Google vem a indicação que os pedidos de informação do Governo português sobre utilizadores de contas e serviços da Google aumentaram de 92 (último semestre de 2010) para 161 pedidos (primeiro semestre de 2011).
      A Google diz que em cerca de metade dos pedidos enviou total ou parcialmente a informação requisitada pelas autoridades portuguesas, afirmando ainda que o número de pedidos que recebe para fornecer informações de utilizadores, tem aumentado de ano para ano».
      No relatório são ainda analisados os pedidos das autoridades para a remoção de conteúdos que, segundo a Google, foi inferior a 10, no caso de Portugal, no primeiro semestre deste ano, não especificando, no entanto, que tipos de conteúdos ou as razões invocadas pelas autoridades portuguesas.
      Que sabe a Google de ti? Que sabe o Governo de ti?

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O Libertário

      Por esta mesma altura, outubro, do ano de 1960, saía em São Paulo (Brasil), o primeiro número do jornal “O Libertário”.

      No cabeçalho podia ler-se um dos princípios do jornal: «Antepor o livre exame do dogma e a liberdade a todas as coações, eis os princípios básicos do anarquismo».
      O responsável pelo jornal era Pietro Catallo, que o publicará até 1964.
      Note-se que já em 1904 havia saído no Rio de Janeiro um jornal com a mesma designação, então publicado pelos anarquistas Manuel Moscoso e Carlo Dias.
      Em baixo podes ver a imagem desse primeiro número.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Es.Col.A da Fontinha

      A “Es.Col.A” é o espaço coletivo autogestionado situado no Alto da Fontinha, no Porto (Rua da Fábrica Social, 17), e, entre outras iniciativas, dispõe de acompanhamento e apoio educativo gratuito, todos os dias, de segunda a sexta-feira, após o horário escolar, proporcionando ajuda aos alunos na realização dos seus trabalhos de casa, bem como explicações nas matérias necessárias.

      Esta é mais uma valia desta vigorosa iniciativa.
      Mais info no sítio da Es.Col.A, com ligação permanente na coluna dos Sítios a Visitar.


domingo, 23 de outubro de 2011

Escravos Voluntários

      «Trabalhadores do mundo acordem. Quebrem as vossas correntes e exijam os vossos direitos. Toda a riqueza que produzis é tomada por parasitas exploradores. Será que vos deveis ajoelhar em profunda submissão, do berço ao cemitério? Será que o peso das vossas ambições vos limita a sereis apenas bons escravos voluntários?»
      Joe Hill, nascido Joel Emmanuel Hägglund, também conhecido como Joseph Hillström (1879ou1882–1915).
      Foi um anarcossindicalista, compositor e músico libertário nascido na Suécia e erradicado nos Estados Unidos, país em que fez parte da organização libertária: Industrial Workers of the World (IWW). Foi executado por homicídio após um julgamento controverso. Depois de sua morte foram compostas diversas canções folk em sua memória.

sábado, 22 de outubro de 2011

A China e a Censura

      A China volta a vir a público defender, sem preconceito ou pudor, o recurso à censura na Internet.
      Há alguns dias o governo norteamericano, na Organização Mundial de Comércio, pediu explicações a Pequim sobre o bloqueio dos serviços de algumas empresas norteamericanas naquele país. Uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Jiang Yu, afirma, em resposta, que a China defende o desenvolvimento da Internet e a proteção da liberdade de expressão na rede mas reconhece que «ao mesmo tempo, em termos de gestão legal da Internet na China, o objetivo é manter um bom ambiente na Internet e salvaguardar o interesse público».
      A mesma responsável sublinha ainda que as práticas da China «estão em linha com práticas internacionalmente aceites».
      E afirmou ainda que «estamos dispostos a trabalhar com outros países e em falar com eles sobre o desenvolvimento da Internet», mas realça que «não aceitamos que utilizem a desculpa da liberdade na Internet para interferir nas práticas internas dos países».

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Debate Indígena

      Vê a reportagem – no vídeo abaixo – realizada há dias sobre o debate indígena com a presença de indígenas de diferentes tribos do Brasil.

      O debate foi organizado pelo Tribunal Popular e pela APROPUC – Associação dos professores da PUC-SP, com o seguinte tema: “Diante a demora do Estado de fazer demarcação; o jeito indígena de reconquistar suas terras”.
      Este foi mais um ato levado a acabo por parte das tribos indígenas em prol da luta pelos seus direitos, ainda não respeitados, no Brasil.
      Apesar das histórias relacionadas com a opressão do capital sobre os povos e culturas e mesmo apesar de tanta perseguição ao índio, estes estão ainda de cabeça erguida, lutando sempre.


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Uma Boa Notícia

      A morte de um ditador é sempre motivo de alegria.
      A confirmação da morte de Muammar Kadhafi hoje parece constituir um virar de página histórico para, não só para a Líbia, como, com certeza, para a região.
      Recordemos que esta morte advém da revolta iniciada no passado mês de fevereiro, de forma tímida, com alguns protestos na rua que evoluiu lentamente para uma revolta à escala nacional. Os rebeldes organizaram-se com um Conselho Nacional de Transição (CNT), ao qual Kadhafi respondeu nas ruas, brutalmente, com militares e poder de fogo. Em março, a comunidade internacional acordou e, sob a batuta da OTAN (NATO), começou a ajudar as forças rebeldes e a bombardear as forças do regime.

      Entre avanços e recuos na guerra civil, os rebeldes acabariam por ganhar ascendente. Chegam a Tripoli, capital do país, em agosto, e celebram a conquista da cidade na fortaleza que outrora servira de base para Kadhafi. Os rebeldes controlavam já quase toda a Líbia, mas faltava o ditador. Rumores apontavam que estaria no deserto a sul do país, protegido por Tuaregues, mas hoje as notícias da captura e morte saíram disparadas para o mundo.
      Kadhafi governou o país de forma muito dura e extravagante durante 42 anos.

      Agora devemos interrogar-nos sobre o efeito contaminador que a morte deste ditador poderá ter para os demais países ainda com filhos da puta deste género a tolher o povo.
      A queda dos regimes autoritários da Tunísia, em janeiro, e do Egito, em fevereiro, mostraram ao mundo os protestos de dois povos árabes e a sua influência na queda dos ditadores que governavam nos seus países. As revoluções uniram-se na denominação de “Primavera Árabe”, que rapidamente se transformou em movimento de revolta.
      Agora a atenção mediática internacional deverá voltar-se para a Síria e para o Iémen, já em ebulição.
      A Líbia foi a primeira nação do Médio Oriente a incendiar as ruas com protestos, e a primeira a pôr fim à sua ditadura. Sendo muito cedo para avançar com um efeito dominó espoletado pela queda do ditador, não será exagerado dizer que as tensões poderão aumentar tanto na Síria como no Iémen, nações que acompanharam a Líbia na revolta contra os seus ditadores.
      Para além destes dois casos com maior relevância, não podemos esquecer também os protestos e tensões no reino do Bahrain que, embora em menor escala, encontram-se igualmente latentes.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

La Belle Époque

      A cidade de Montreal ganhou um novo espaço anarquista desde a passada terça-feira (11 de outubro). Trata-se do espaço denominado "La Belle Époque".

      O local foi aberto com uma grande festa e já oferece diversas atividades e programações que englobam o universo libertário. O "La Belle Époque" apresenta-se assim na sua página eletrónica:
      «La Belle Époque é um projeto coletivo que visa colocar as ideias e energias anarquistas nas ruas de Montreal. Na sua forma física, está alocado num espaço alugado no sudoeste de Montreal, na rua Wellington, nº. 1984. Este espaço auto-organizado é destinado a favorecer a reflexão coletiva entre as nossas ideias e experiências com o mundo que nos rodeia. Recusamos separar as ideias do quotidiano. Este espaço é contextual às relações que criou e às amizades e afinidades que vão resultar. Contrariamente ao mundo colonizado pelo capital que transpira morte, nós valorizamos a vida e a paixão. Nesse sentido, nós solidificamos a nossa luta constante contra tudo aquilo que nos destrói e nos impede de viver segundo as nossas determinações.»
      Mais info em: www.epoquemtl.org
      Ligação também disponível de forma permanente na coluna dos “Sítios a Visitar”.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Agitadores Infiltrados

      Em baixo podes ver uma fotografia na qual aparentemente alguns manifestantes violentos estão a ser imobilizados pela polícia.

      Atenção ao pormenor de que tais manifestantes violentos calçam exatamente as mesmas botas que as dos polícias, isto é, as botas próprias do seu fardamento.
      Por que será? Coincidência?
      Claro que não. São polícias trajando à civil que se misturam com os manifestantes com o propósito de provocar desacatos no momento julgado oportuno a fim de permitir uma intervenção musculada junto dos reais manifestantes. Ao mesmo tempo captam a atenção dos meios de comunicação de massas para o caráter violento dos manifestantes, o que proporciona fantásticos títulos e largas vendas.
      Normalmente, os polícias infiltrados têm mais cuidado com o seu disfarce. No caso da foto abaixo esqueceram-se de trocar as botas, permitindo uma mais fácil identificação, no entanto, são quase sempre identificados: pela forma como se movem com o grupo em que se inserem, num mínimo de dois a três indivíduos, a forma extrapolada e provocatória de agir e mesmo a sua compleição física que denota a frequência de ginásios e/ou halterofilismo, cabelo curto bem cortado e postura militarizada, enfim, um conjunto de sinais para os quais se deve estar atento, independentemente dos atos que pratiquem contra a polícia, arremessando objetos, insultando-os, forçando barreiras, etc. são atos teatrais habituais e fazem até parte dos treinos frequentes em que participam aprendendo a lidar com os manifestantes.


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A Ocupação das Ruas

      As manifestações nas ruas nos cerca de 80 países deste fim de semana tiveram, finalmente, eco nas Nações Unidas (ONU), tendo o seu secretário-geral Ban Ki-Moon, vindo a público demonstrar a sua compreensão pelos protestos, posição aliás comum a todos os políticos dos diversos países, isto é, todos têm uma grande compreensão, mais nada.
      As declarações de Ban Ki-Moon, por ser o representante daquela organização mundial, revelam-se, no entanto, de maior destaque mediático, principalmente ainda pelo facto de terem sido proferidas antes de um encontro (na Suíça), entre ele (secretário-geral da ONU) e o grupo dos países do G20.
      Disse: «As frustrações que a crise financeira está a causar (…) É isso que estamos a ver um pouco por todo o mundo, começando em Wall Street, as pessoas estão a mostrar as suas frustrações, e em todo o mundo estão a enviar uma mensagem clara e inequívoca».
      O movimento dos “Indignados” está já globalizado e os protestos que se erguem em uníssono, por todas as principais capitais europeias e mundiais, onde milhares protestam a nível global, pese embora o seu caráter pacífico e sem obtenção imediata de qualquer alteração no estado das coisas, se persistir no tempo e na intensidade, poderá transformar-se e vir a obter alguma alteração.
      Neste fim de semana, verificamos como todas as manifestações foram pacíficas com exceção das notícias vindas de Roma (Itália) que referem cerca de dois milhões de euros de prejuízos, advindos das manifestações que o grupo “Black Block”, em separado levou a cabo, atacando alguns dos pilares representativos da sociedade capitalista, como incendiando viaturas de alta gama, pilhando lojas de luxo, etc., tendo constituído a faceta mais ativa e, bem assim, destruidora, dos protestos globais do último sábado.
      Esta forma de atuação de Roma tenderá a alastrar-se cada vez mais aos outros países/cidades, principalmente após a constatação da inação dos governos e da necessidade objetiva que existe de fazê-los cair, substituindo o sistema por outro, uma vez que as manifestações, apesar de muito bonitas, bem intencionadas e contendo cartazes muito imaginativos, não levam a lado nenhum.

domingo, 16 de outubro de 2011

As Liberdades Conquistadas

      «As liberdades conquistadas pela espécie humana são obra dos ilegais de todos os tempos, que tomaram as leis em suas mãos e as despedaçaram.»
      Cipriano Ricardo Flores Magón (1874-1922)

sábado, 15 de outubro de 2011

A Vigilância no Facebook

      Uma utilizadora da rede social “Facebook” acusa o sítio-rede de a vigiar, a si e aos demais membros, seguindo a sua navegação mesmo depois do encerramento da sessão da conta.
      A queixa foi apresentada pela norte-americana Brooke Rutledge num tribunal do estado do Mississipi. Este caso remete ainda para uma investigação divulgada há algumas semanas pelo bloguer australiano Nik Cubrilovic, que descobriu que os “cookies” do “Facebook” conseguiam monitorizar a navegação dos utilizadores do sítio, mesmo depois de encerrarem a sessão, quando estes visitavam outras páginas onde se encontrasse o botão «Gosto».
      No mesmo processo, que pretende ser em nome de múltiplos membros da rede social, a utilizadora do “Facebook” acusa ainda a rede social de «quebra de contrato, enriquecimento injusto e invasão de privacidade», de acordo com o portal “The Register” que adiantou ainda que «até ao passado dia 23 de setembro de 2011 o “Facebook” monitorizou, recolheu e guardou as comunicações eletrónicas dos utilizadores, incluindo, mas não limitando, partes do histórico do browser, mesmo quando os utilizadores não estavam ligados ao Facebook».

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Descalabro Fest

      Amanhã (15 de outubro 2011), a partir das 17H00, na Casa Viva, haverá uma festa intitulada “Descalabro Fest”, contando com a atuação das seguintes bandas:

  1- Quebra-cabeças
       www.myspace.com/quebracabecaspunk
  2- A-Bomber
       www.myspace.com/anarchistbomber/music
  3- Protest Underground Noise Kaos
       www.myspace.com/ultragrind
  4- Excremento
       www.myspace.com/excrementocrust
  5- Esguicha Bilsar
      A Casa Viva está no Porto na Praça do Marquês, nº. 167. A entrada é livre.
      Mais info nas ligações permanentes à “Casa Viva” e “Rádio Casa Viva “ que encontras na coluna aqui ao lado dos “Sítios a Visitar”.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Controlo Policial na Rússia

      A polícia russa está interessada no controlo e conhecimento dos movimentos anarquistas e, para isso, na passada semana, um companheiro foi detido, interrogado e torturado pela polícia de Moscovo, prosseguindo assim as detenções iniciadas com as prisões dos supostos anarquistas insurrecionalistas.
      Na passada sexta-feira, dia 7 de Outubro, um ativista que estava organizando um evento para arrecadar fundos para o apoio financeiro dos anarquistas presos foi detido e de forma brutal foi submetido a sessões de tortura num posto policial.
      Esteve detido ao longo de toda a noite (apenas uma noite) com o único propósito de explicar, sob tortura, o funcionamento da “estrutura” anarquista da Cruz Negra Anarquista (CNA/ABC) e qual o seu papel no apoio aos presos.
      Foi submetido a muitas perguntas a propósito das recentes detenções e suas conexões com os detidos, com vários grupos autónomos e ataques realizados por anarquistas, sendo depois libertado, sem mais nem menos.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Manif Internacional 15OUT

      No próximo dia 15 de Outubro (sábado), haverá uma manifestação internacional em diversas cidades com o propósito simples de reclamar uma democracia participativa e o fim da precariedade de vida, a par de uma transparência nas decisões políticas.
     Em Portugal, podem ler-se manifestos mais ou menos assim (síntese):
      «Somos “gerações à rasca”, pessoas que trabalham, precárias, desempregadas ou em vias de despedimento, estudantes, migrantes e reformadas, insatisfeitas com as nossas condições de vida. Hoje vimos para a rua, na Europa e no Mundo, de forma não violenta, expressar a nossa indignação e protesto face ao atual modelo de governação política, económica e social. Um modelo que não nos serve, que nos oprime e não nos representa. Queremos uma Democracia participativa, onde as pessoas possam intervir ativa e efectivamente nas decisões. Uma Democracia em que o exercício dos cargos públicos seja baseado na integridade e defesa do interesse e bem-estar comuns. A qualidade de uma Democracia mede-se pela forma como trata as pessoas que a integram.»
      Extrato retirado da ATTAC Portugal que podes ler na íntegra em:
http://attacportugal.webnode.com/news/a15%20de%20outubro%20a%20democracia%20sai%20%c3%a0%20rua%21/

      Ora, estas gerações à rasca (aflitas) querem melhorar o sistema político em vigor, reclamando mais participação na política como caminho para a transparência e para o fim da precariedade; tudo ambições de merda impossíveis de concretizar no sistema político-económico atual, sendo até, elas próprias, incompatíveis entre si, isto é, é impossível a coexistência de uma democracia representativa com a transparência e muito menos com o fim dos interesses económico-financeiros e, por conseguinte, do eventual fim da precariedade.
      É muito bonito ver estas gerações com ambições bonitas e manifestações tão bem encaixadas e organizadas no sistema. É bonito ver esta juventude tão ativa. Vai ser mais bonito ainda ver as reportagens da televisão com as suas roupas e cartazes com dizeres tão engraçados. É tudo tão bonito e é tudo verdade mas falecerá no dia seguinte porque nada será possível mudar por esta via bonita de melhoramento e não de finalização e transformação radical, conforme nos diz a História da Humanidade.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

A Revolta dos Caracóis

      Já está disponível o nº. 2 da revista galega “A Revolta dos Caracóis” (Em subtítulo: “Revista de pensamento queer e anormal”), que podes descarregar na ligação abaixo indicada, bem como o seu primeiro número.
https://sites.google.com/site/abordaxerevista/home/outras-publicacions-amigas
      Os temas abordados neste novo número são os seguintes:
      1- Manifesto Transfeminista,
      2- Lixo e género,
      3- Nenhuma mulher nasce puta,
      4- Butler para amadores,
      5- Especial Intersexualidade,
      6- Antipsiquiatria
      7- Sempre Maus e
      8- Pornopoemas.
      No Editorial pode ler-se o seguinte:
      «Neste número volvemos á carga disparando verbas tingidas de sangue, bombas atómicas de padecemento marxinal, sentimentos-proxectil de amor/odio en nome de todxs xs que vivimos nas marxes deste caos engaiolado que chamamos estrutura social e que nos rouba a vida... (…) construamos os nosos corpos e as nosas mentes, sexamos libres e pasemos da teoría á acción, facendo a verdadeira poesía, “queimémolo ceo si é preciso por vivir” como dicía certo cantautor cubano...»

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Atriz Condenada a Prisão e a Chicotadas

      Marzie Vafamehrha é uma atriz iraniana que acaba de ser condenada a um ano de prisão e a 90 chicotadas pelo crime de haver participado no filme «Teherane Man Haray».
      Marzie é casada com o cineasta iraniano Naser Taghvai, e foi detida já no final de junho, pela atuação no filme que narra os problemas de uma jovem artista para viajar para a Austrália.
      O cineasta marido declarou ao sítio noticioso “Kalameh” que outras pessoas envolvidas no filme também foram presas, mas só Marzie foi condenada. Segundo o cineasta iraniano, o filme contava com a permissão do Ministério de Cultura e Orientação Islâmica. “Marzie está numa prisão de Garchak, numa província de Teerão. O local é um antigo galinheiro que não apresenta as mínimas condições higiénicas”, acrescentou o marido da atriz.
      O filme foi produzido há quatro anos por Garanaz Musavi, uma cidadã iraniana que reside na Austrália, e foi o resultado de uma tese universitária que contou com a participação de muitos estudantes, todos com a permissão das autoridades.
      Apresentado em vários festivais, o filme chegou ao Irão por vias desconhecidas e acabou por ser distribuído no mercado negro. «Antes, o filme era vendido por menos de 1 dólar. Agora, devido ao processo, custa 6 dólares», adiantou Taghvai.
      A pressão sobre os artistas, especialmente mulheres cineastas e atrizes, aumentou muito nos últimos meses no Irão e várias delas foram detidas, processadas e condenadas com diversas penas.
      Depois de tomar conhecimento da sentença, decretada por um tribunal de justiça de Teerão, o advogado de Marzie apresentou um recurso à instância superior.

domingo, 9 de outubro de 2011

A Indispensável Ação

      «Chega sempre a hora em que não basta apenas protestar: após a filosofia, a ação é indispensável»
      Victor Hugo (1802-1885)
      Escritor e poeta francês.

sábado, 8 de outubro de 2011

A Ocupação de wall Street

      Os protestos em Wall Street (EUA) acabam de ganhar uma nova e maior dimensão, após 3 semanas, devido a uma súbita atenção mediática que despertou o interesse do público sobre este movimento que se auto-denomina “Ocupar Wall Street”.
      Diariamente, no centro de Nova Iorque, os manifestantes ocupam Wall Street, cada vez com maior adesão popular e de diversas organizações. A faísca que engrandeceu o movimento surgiu após a detenção pela polícia no passado fim-de-semana de 700 manifestantes que participaram no bloqueio da ponte de Brooklyn, lançando o movimento para um novo patamar.
      Das poucas dúzias de indivíduos que iniciaram os protestos em 17 de setembro passado, são agora milhares de indivíduos que enchem Wall Street. Nos últimos dias, com o avolumar da mancha humana, surgiram adesões de diversos movimentos e organizações, como o sindicato Amalgamated Transit Union, cujo presidente, Larry Hanley, em entrevista à CNN, dizia: «os jovens de Wall Street estão a dar voz a muitos problemas da classe trabalhadora dos EUA».
      O próprio presidente norteamericano, Barack Obama, veio a público reconhecer o teor representativo dos protestos. Confessando, em discurso na Casa Branca, que os manifestantes em Wall Street espelham «as frustrações do povo norte-americano».
      Outro presidente de uma união sindical, Michael Mulgrew, foi mais além na génese dos protestos, que justifica ao apontar que os EUA «estão de pernas para o ar», e que os manifestantes «estão a lutar pelos seus filhos e famílias».
      Sempre associados aos protestos estão as cargas policiais que também têm aumentado, tendo, no entanto, efeito contrário ao pretendido, pois em vez de refrear os manifestantes, a polícia só tem conseguido aumentar o número de manifestantes e adesões, como por exemplo a que houve também motivada pelo vídeo onde se mostra um polícia a pulverizar com spray pimenta um grupo de mulheres que participava nos protestos. O vídeo ganhou contornos virais e circulou pelas redes sociais, aumentando a indignação e ajudando ao aumento dos números de adesão ao movimento «Ocupar Wall Street».

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Francisco Ferrer y Guardia

      Na próxima semana, 10 a 16 de outubro, Biblioteca Terra Livre promoverá diversas atividades em homenagem à memória de Francisco Ferrer y Guardia.

      As atividades terão início no dia 13 de Outubro, data da execução de Ferrer pelo Estado Espanhol, com a exibição de um filme seguida de Debate na USP (São Paulo, Brasil).
      O filme intitula-se “Francisco Ferrer i Guardia: uma vida para a liberdade” (Espanha, 2003, 51 min). Direção: Agustí Corominas i Casals. Produção: TV3 català e trata-se de um documentário sobre a vida e obra de Francisco Ferrer i Guardia, mestre anarquista fundador da Escola Moderna e teórico das escolas racionalistas. Há entrevistas com ex-alunos e muitas informações sobre a construção de uma nova conceção de educação na Espanha do início do século XX. A exibição será na Sala 147, bloco B, ala C, da Faculdade de Educação da USP, Av. Universidade, 308, em São Paulo, 05508-040 (próximo ao portão 1) (entrada gratuita).
      No dia 15 de outubro haverá uma descida para o litoral e, em parceria com o Núcleo de Estudos Libertários Carlo Aldegheri e a Cinemateca Maurice Legeard, uma realizar-se-á uma homenagem a Ferrer y Guardia.
      Já no domingo, dia 16 de outubro, será a vez do Cineclube Terra Livre prestar a sua homenagem, trazendo experiências pedagógicas no Brasil que foram influenciadas diretamente pela proposta pedagógica de Ferrer.
      Com este ciclo de atividades a Biblioteca Terra Livre busca não só preservar a memória deste militante anarquista mas também trazer para o presente uma proposta de educação que ainda hoje apresenta caminhos para a libertação de mulheres e homens.
      Depois de 102 anos, afinal o último grito de Ferrer ainda ecoa no coração dos anarquistas.
      O livro de Ferrer “A Escola Moderna” (com 90 páginas) pode ser lido e baixado na ligação permanente na coluna dos Sítios a Visitar com a designação de “Escola Moderna”, a que corresponde a seguinte ligação:
       http://ateneudiegogimenez.files.wordpress.com/2010/10/adg-a-escola-moderna.pdf
      Mais info pode ser obtida no sítio da Biblioteca Terra Livre também com ligação permanente na coluna dos Sítios a Visitar, com a designação de “Terra Livre - Biblioteca”, a que corresponde a seguinte ligação:
       http://bibliotecaterralivre.noblogs.org/


quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Tradutor no Facebook

      O Facebook acaba de apresentar uma nova ferramenta que poderá revelar-se revolucionária, pois derrubará as barreiras linguísticas atualmente existentes entre os diferentes idiomas utilizados pelos cerca de 800 milhões de utilizadores.
      Esta nova ferramenta é apenas um simples botão de tradução que aparece junto ao botão “Gosto” sempre que o serviço detete que determinada publicação ou comentário estão redigidos numa língua diferente daquela que foi escolhida pelo utilizador, podendo este, assim, ler qualquer texto na sua própria língua com uma tradução do “Bing Translator” (parceria Microsoft), podendo o utilizador melhorá-la ou corrigi-la e podendo esta nova tradução vir a substituir a automática.
      A ativação desta nova ferramenta só será disponibilizada se solicitada. Para já a ferramenta ainda não está disponível para todos os utilizadores e, também de momento, só se encontra disponível para os utilizadores que utilizem as seguintes línguas: coreano, japonês, russo, taiwanês e chinês, mas irá com certeza expandir-se a outros idiomas, uma vez que o “Bing Translator” suporta atualmente 37 línguas diferentes, na qual se inclui o português.
      Todo o Mundo mais perto, cada vez com menos barreiras.
      Toda a Humanidade a entender-se por fim?

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

A República do 5 de Outubro

      Comemora-se hoje em Portugal 101 anos da implantação da República, momento que pôs fim a 767 anos de monarquia.
      Nestes últimos 100 anos que terá mudado de facto em Portugal, relativamente às ambições dos revolucionários republicanos?
      Nada. Regredimos.
      A monarquia não acabou; hoje continuamos a ter classes privilegiadas, nobres, com poder a todos os níveis e um povo que suporta o seu peso.
      Que aconteceu ao anticlericalismo e às proibições e extinções de ordens religiosas dos primeiros tempos da República?
      Nada. Regredimos de novo, não só o clero está aí em força e em todas as manifestações populares, como até aumentamos o número de religiões ou seitas com as crenças mais diversas.
      Na monarquia muito se criticava o rotativismo entre os dois partidos: o Partido Regenerador e o Partido Progressista; hoje igualmente se revezam no poder o PS e o PSD.
      Criticava-se na monarquia o depauperamento da economia, hoje já nem criticamos, porque já não sabemos criticar, o contínuo depauperamento social e económico.
      Substituímos as elites formais monárquicas pelas republicanas mas nada trouxe uma melhoria de facto ao nível das populações, melhorando o seu intelecto e o seu dia-a-dia.
      Estamos à beira do precipício com um quadro social negro com um desemprego interminável e com um Estado cada vez menos social.
      É um momento explosivo que tem de deflagrar.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Apelo de Solidariedade

      O Sindicato de Artes e Ofícios Vários (Sindivários) de Araxá, Minas Gerais, Brasil, filiado na Confederação Operária Brasileira (COB), secção brasileira da AIT, acabam de divulgar um apelo que abaixo se reproduz:

      «Estimada Amiga/Estimado Amigo, Cumprimentos.
      Os Companheiros(as) do Sindivários de Araxá, estão sofrendo pressões da “FF Comercial” (Marcas Lotto e Finta) com ameaça de prisão por defender os direitos dos trabalhadores. Não bastassem os baixos salários e as demissões praticadas pela empresa citada, essa, no momento, vem movendo ação judicial” contra companheiro nosso sob a motivação de "calúnia". Em face do exposto pedimos, por favor, que todos(as) que puderem nos ajudar o façam, remetendo novamente emails de protesto para estes endereços:
      afnit@araxa.com.br
      fatima@finta.com.br
      http://www.finta.com.br
      vilela.comercial@hotmail.com
      cicero-representacoes@hotmail.com
      flavio.golrep@hotmail.com
      golrep2@hotmail.com
      Pela consideração, para com essa causa, resta agradecer. Para maiores informações pedimos manterem contacto com:
      Confederação Operária Brasileira (COB) - Secretariado: cobforgs@yahoo.com.br
      Federação Operária do Rio Grande do Sul (FORGS): forgscob@yahoo.com.br
      Cordialmente / Pietro Riva»
      Mais info em: http://sindivariosaraxa.blogspot.com



segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Alimentação Vegetariana

      A “Alimentação Vegetariana, Moda, Dieta ou Estilo de Vida?”. É sob este título que decorrerá amanhã (4 de outubro) uma sessão (in)formativa e de debate, entre as 18H30 e as 20H30 na Casa da Horta, No Porto.

      A participação é livre mas está sujeita a inscrição prévia, uma vez que a sessão só se realizará com um número mínimo de participantes.
      Esta iniciativa está integrada na “Semana Vegetariana 2011”, promovida pelo Centro Vegetariano e contando com a participação de inúmeras entidades e organizações um pouco por todo o país.
      Como ponto de partida para a sessão surge a questão: Numa altura em que a alimentação vegetariana começa a ser cada vez mais conhecida e também “adotada” por mais pessoas estaremos perante uma moda, uma dieta ou um estilo de vida? E para se ser vegetariano, quais são as principais dicas, motivações, dificuldades e “erros” a evitar?
      Esta sessão (in)formativa pretende sensibilizar para uma alimentação consciente e sustentável, quer ao nível socio-ambiental quer ao nível da saúde e equilíbrio do próprio indivíduo. Será que alimentarmo-nos de forma equilibrada é um exercício assim tão difícil, aborrecido e dispendioso ou, pelo contrário, um processo divertido, acessível e, antes de tudo o mais, natural?
      No final da sessão irá decorrer um jantar informal de convívio entre todos os participantes da sessão, sendo os preços das refeições os normalmente praticados na Casa da Horta.
      Modo de inscrição: Através do email: segredosdahorta@gmail.com ou pelo telefone do Pedro Pereira: 934476236
      Mais info nas ligações permanentes colocadas na coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “Casa da Horta” e “Segredos da Horta”.


domingo, 2 de outubro de 2011

A Luta

      «A luta deles é para segregar, a nossa luta é para unificar. A nossa luta não é a luta do contrapoder; é a luta do antipoder.»
      John Holloway (n.1947)
      Advogado, filósofo e economista irlandês cujas principais publicações se relacionam com o movimento zapatista. Em 2002 escreveu em conjunto com o subcomandante Marcos o livro “Mudar o Mundo Sem Tomar o Poder”.

sábado, 1 de outubro de 2011

Grupo de iniciativas Informativas Diárias

      Este artigo que lês está publicado numa das várias iniciativas informativas que compõem o Grupo Info-Dia, um grupo dedicado à informação alternativa, global, não massificada, gratuita e diária.
      Esta iniciativa divulgativa nasceu em Janeiro de 2007 (há 4 anos), inicialmente sob a forma de mensagens curtas (SMS) para um determinado grupo restrito de beneficiários, tendo, ao longo do tempo saltado para um blogue e outro e outro e mais outro, contando hoje com assíduas visitas diárias, em todas as plataformas, vindas de todo o planeta onde haja um falante de Língua Portuguesa, tendo ainda leitores assíduos de falantes da Língua Castelhana (Espanhol).
      Todos os dias são publicados novos artigos em mais do que um blogue e noutras plataformas, como redes sociais, de forma a alcançar um maior número de leitores e poder assim transmitir conhecimento que não está disponível nos normalizados e embrutecedores meios de comunicação social.
      Os artigos não são publicados de forma massiva, isto é, não são publicados em quantidade nem pretendem alcançar o grande público consumidor de estereótipos e estereóestúpidos.
      Todos os dias são selecionados os melhores acontecimentos, as notícias menos divulgadas, aqueles factos que deveras interessam e podem aportar algo mais ao nosso conhecimento geral do Mundo e de nós próprios, enquanto seres divinos que somos e todo-poderosos.
      O Mundo, a Vida e a Liberdade podem ser melhores do que isto. Esforça-te para o conseguires, cada segundo, cada vez que respires. Liberta-te a ti mesmo pelo conhecimento, não acreditando nas mentiras das religiões, dos poderes, dos Estados...
      A sabedoria é o único poder maior. Aprende, para saberes mais do que eles. O conhecimento é a tua arma de guerra mais poderosa e destruidora. Usa-a, ataca, mata, destrói.
      A seguir estão os endereços de todos os sítios do grupo até ao presente:

      1 – INFO-DIA:
      http://info-dia.blog.pt
      (informação diária diversificada no Blog.pt)

      2 – INFODIASMS:
      http://infodiasms.blogspot.com
      (informação diária diversificada no BlogSpot)

      3 – SABEMAIS:
      http://sabemais.wordpress.com
      (informação diária diversificada no Wordpress)

      4 – TWITTER:
      http://twitter.com/sabemais
      (informação diária breve no Twitter)

      5 – FACEBOOK:
      http://www.facebook.com [InfoDia Sms]
      (informação diária diversificada no Facebook)

      6 – ANARQUINFO: (este blogue)
      http://anarquinfo.blogspot.com
      (informação diária específica do mundo anarquista)

      7 – BLAVING (Voz):
      http://pt.blaving.com/infodia
      (a informação em voz para ouvir)

      8 – GOOGLE+:
      https://plus.google.com [Info Dia]
      (informação diária diversificada no Google+)

      9 – ORKUT:
      http://www.orkut.com [Info Dia]
      (informação diária diversificada no Orkut)

      10 – SMS:
      (para todas as redes móveis a operar em Portugal)