terça-feira, 31 de julho de 2012

A Começar na Bolívia?

       Numa decisão inédita, o Governo da Bolívia anunciou que a “Coca-Cola” (refrigerante norte-americano) será expulsa da Bolívia no próximo dia 21 de dezembro de 2012.
      De acordo com o ministro do exterior da Bolívia, David Choquehuanca, esta determinação estará em sintonia com o fim do calendário Maia e será parte dos festejos para celebrar o fim do capitalismo e o começo da “cultura da vida”.
      A festa acontecerá no dia do solstício de verão (no hemisfério sul) na Ilha do Sol, situada no lago Titicaca.
      «21 de dezembro de 2012 é o fim do egoísmo e da divisão. 21 de dezembro tem que ser o fim da Coca-Cola e o começo do mocochinche (refresco de durazno)», disse o ministro Choquehuanca num ato junto ao mandatário Evo Morales. «Os planetas se alinharão depois de 26.000 anos... é o fim do capitalismo e o começo do comunitarismo», completou o ministro.
      Recorde-se que no final do ano passado, de forma igualmente inédita, a cadeia de restaurantes de comida rápida norte-americana “McDonald’s” abandonou a Bolívia por desinteresse do público, isto é, por não ter clientes.
      Após 14 anos do seu estabelecimento no país sul-americano, e apesar de tentar todas as campanhas publicitárias imagináveis, a cadeia viu-se obrigada a fechar os oito restaurantes que mantinha abertos nas três principais cidades do país: La Paz, Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra.
      Este é o primeiro país do Mundo no qual a empresa fecha as portas por ter a sua contabilidade em vermelho durante mais de uma década.
      O impacto para os criativos chefes de “marketing”, que não acabam de superar a sua frustração, foi a força daqueles que gravaram um documentário intitulado: “Porque faliu a McDonald`s” no qual tentam explicar as razões que levaram os bolivianos a continuar preferir as empanadas aos hambúrgueres.
      O documentário inclui reportagens com cozinheiros, sociólogos, nutricionistas, educadores, historiadores e outros, que apresentam uma coincidência geral: o repúdio não é aos hambúrgueres nem ao seu gosto, o repúdio está na mentalidade dos bolivianos. Na Bolívia ainda se conserva o conceito da cultura gastronómica tradicional, na qual o rito da comida começa desde a decisão do que se vai comer, ir ao mercado comprar os ingredientes, conviver enquanto preparam os alimentos, a forma como o apresentam e a maneira como o servem. A comida para ser boa requer, além do gosto, esmero, higiene, e consciência que se adquire com muito tempo de prática na preparação. Assim é como avalia um consumidor a qualidade daquilo que coloca no estômago.
      No vídeo abaixo podes ver um extrato do documentário, quando ainda se encontrava em preparação.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O Alfaiate, o Cozinheiro e o Ferreiro

       Por esta altura (a 29 de julho) do ano de 1900, em Monza (Itália), o monarca italiano Umberto I é assassinado pelo alfaiate Gaetano Bresci com três tiros.
      Este ato foi um ato de justiça e de vingança contra o massacre de trabalhadores numa manifestação em Milão, dois anos antes, na qual centenas de trabalhadores famintos foram mortos.
      Pouco tempo antes numa atitude absurda o insolente rei Umberto havia condecorado o General Bava Beccaris, o responsável pela matança de Milão.
      Gaetano Bresci (1869-1901) era alfaiate de profissão e também jornalista e militante anarquista. Nascido em Itália e emigrado para os EUA, logo que lhe foi devolvido o dinheiro que emprestara para a constituição de um jornal, viajou para Itália com o propósito de matar o rei.
      Logo após os três tiros no peito, no meio da multidão, gritou: “Não matei Umberto, matei o Rei, matei um princípio”.
      Nota que este rei italiano, que a história oficial lhe atribuiu o cognome de “O Rei Bom”, já há alguns anos antes, cerca de 20, que se tentava eliminar. O primeiro ataque foi em 17 de novembro de 1878, aquando de um desfile em Nápoles, num carro aberto, foi atacado pelo anarquista Giovanni Passannante, cozinheiro de profissão. O rei repeliu o golpe com o seu sabre. O pretenso assassino foi condenado à morte, embora a lei só permitisse tal condenação em caso de morte do rei, então Umberto comutou a sentença em trabalhos forçados perpétuos, que Passannante cumpriu numa cela de apenas 1,4 metros de altura, sem saneamento e com 18 quilos de correntes no seu corpo. O anarquista viria a morrer numa instituição psiquiátrica uma década depois.
      Passannante tentara realizar o seu ato com uma pequena faca de aproximadamente oito centímetros, "boa apenas para fatiar maçãs" como disse em interrogatório o dono da loja onde o anarquista havia conseguido a faca em troca de um velho casaco.
      O segundo ataque, partiria de um outro anarquista, em 22 de abril de 1897: Pietro Acciarito, ferreiro de profissão que tenta apunhalar o rei. A sua ação não logra êxito e Acciarito recebe tratamento análogo ao despendido a Passannante acabando louco após cumprir parte de sua pena de prisão perpétua numa cela sepultura, menor que a sua estatura, abaixo do nível do mar, sem latrina e sem luz.
      Já agora convém registar que após a morte do primeiro anarquista, Passannante, lhe foi decepada a cabeça e o seu crânio e cérebro foram enviados para análises no Instituto Superior de Polícia, em Roma, com o objetivo de ser estudado na cadeira de Antropologia Criminal que sustentava que se poderiam identificar tendências subversivas ou criminais nas características físicas e biológicas dos indivíduos.
      De igual forma, os restos mortais de Pietro Acciarito foram submetidos a uma autópsia pelos mesmos eugenistas da escola lombrosiana que haviam examinado o corpo de Passannante, tendo concluído, através dos seus estudos, que a forma oval do crânio do ferreiro revelava uma "predisposição ao assassinato".
      Em 1936 o cérebro e o crânio de Giovanni Passannante foram mandados para o Museu Criminal onde acabaram em exposição juntos com alguns manuscritos de Passannante, como exemplo e testemunho daqueles estudos de Antropologia Criminal. A permanência dos restos na exposição museológica resultou numa série de protestos e manifestações. No dia 23 de Fevereiro de 1999 o ministro da Justiça italiano deliberou o traslado dos restos de Passannante de Roma para Sabóia de Lucania. No entanto, por morosidade institucional, a burocracia e a falta de vontade política, fez com que o traslado acontecesse apenas oito anos depois, em 2007.
      O sepultamento do crânio e cérebro de Giovanni Passannante estava previsto para o dia 11 de Maio de 2007 após uma cerimónia fúnebre que deveria durar 11 horas aproximadamente. O sepultamento, no entanto, aconteceu um dia antes do previamente estabelecido para evitar problemas de "ordem pública". Quase cem anos após a sua morte, até o sepultamento da cabeça gerou temor na “ordem pública”. 





domingo, 29 de julho de 2012

Descobrir

      «Descobrir consiste em ver o que toda a gente viu mas pensar o que ninguém pensou.»
      Albert Szent-Györgyi (1893-1986)
      Bioquímico natural da Hungria que se nacionalizou norte-americano, após fuga do regime Nazi. Foi laureado com o prémio Nobel da Medicina em 1937, pela descoberta da Vitamina C.
      Das suas diversas obras, para além das científicas, destaca-se a de cariz sociológico: “O Macaco Louco” (The Crazy Ape) de 1970, na qual o autor procura responder à seguinte questão: Por que razão se comporta o ser humano como um perfeito idiota?

sábado, 28 de julho de 2012

No Border Camp 2012


      Cerca de mil pessoas de toda a Alemanha e de todo mundo concentraram-se em Colónia, na Alemanha, para 10 dias de encontro e de ação por um Mundo sem fronteiras e sem racismo.
      Para o encontro, que terminou no último fim de semana (22 de Julho), foram mobilizados cerca de cinco mil polícias, isto é, cinco polícias para cada ativista. O aparato policial não desmotivou os participantes nem travou a onda de ações que varreu a área.
      Na quarta-feira pela manhã, o consulado de Itália em Dusseldorf foi ocupado em protesto contra a iminente deportação de Inglaterra para Itália de Tarik Rahma, um homem sudanês em greve de fome há dois meses (a atual legislação europeia obriga os países a deportar as pessoas para o país onde entraram na Europa).
      Na quinta-feira vários ativistas ocuparam o consulado francês em Dusseldorf para exigir justiça para Noureddin, um homem sudanês encontrado morto num canal em Calais a 7 de Julho. Os ativistas acabaram por ser retirados à força e detidos pela polícia. O samba dos ritmos de resistência e os gritos de vários ativistas em solidariedade cortaram a rua durante toda a tarde.
      Ao mesmo tempo, ativistas ocupavam a sede do partido “die Grüine” para chamar a atenção para os grupos de refugiados afegãos e iranianos em greve de fome em três cidade alemãs, sob repressão policial, numa das várias ações de solidariedade durante o acampamento.
      O acampamento acabou com uma manifestação que juntou mil pessoas no aeroporto de Dusseldorf; aeroporto que se tornou num ponto de concentração para expulsar milhares de imigrantes, sobretudo ciganos, de toda a Europa para países como a Macedónia, Sérvia, Kosovo ou Nigéria, ao abrigo do racismo e militarismo da agência europeia Frontex.
      Centenas de vozes encheram o aeroporto: “No Borders, No nations, stop deportations”, “We are here and we will fight – freedom of movement is everybody’s right.”, “Unemployment and inflation are not caused by immigration. Bullshit, get off it, the enemy is profit”.
      O No Border Camp em Colónia teve lugar um mês depois de um outro No Border, em Estocolmo, que reuniu igualmente mil pessoas. Pedradas que quebram o silêncio em que os crimes da Europa-fortaleza são, dia após dia, cometidos. Momentos de encontro e partilha entre imigrantes, refugiados e todas as que lutam por um mundo sem fronteiras nem racismo.
      Um acampamento organizado horizontalmente, sem hierarquias, mas em que muito tempo e energia acabaram por ser usados em discussões e conflitos internos.
      Dez dias à beira do Reno para refletir e agir, para criar e fortalecer laços e ideais, despertar solidariedades e experimentar a vida coletiva livre do capitalismo, da autoridade e da descriminação.
      Mais info em:

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Jornal Socialismo Libertário


      Acaba de sair a 28ª edição (de julho) do Jornal Socialismo Libertário, órgão da Coordenação Anarquista Brasileira (CAB).
      Esta edição traz o Programa Mínimo da CAB, aprovado no seu recente Congresso realizado este mês de julho no Rio de Janeiro. Este Programa apresenta os elementos
reivindicativos em torno dos quais se pretende uma atuação no presente, de maneira a permitir um avanço rumo ao projeto revolucionário.
      Esta nova edição pode ser vista e/ou baixada (em pdf) no seguinte endereço:

quinta-feira, 26 de julho de 2012

1000 Artigos Publicados


      Este blogue “Anarquinfo”, do grupo informativo “InfoDia/SabeMais/Anarquinfo”, em http://anarquinfo.blogspot.com publica hoje o seu artigo número 1000.
      Como a cada artigo corresponde um dia, este blogue tem assim 1000 dias de existência e publicações, desde quando começou em novembro de 2009, há quase três anos.
      Já agora, nota que este blogue especializado é o mais recente do grupo, pois todos os outros são mais antigos, tendo-se iniciado, ou melhor, ampliado, as publicações à Internet desde janeiro de 2007.
      Todos os dias estes blogues publicam artigos de diferente opinião, não massificada, e, muitas vezes, uma informação de difícil acesso.
      O Mundo, a Vida e a Liberdade podem ser melhores do que isto. Esforça-te para o conseguires, cada segundo, cada vez que respires.
      Liberta-te a ti mesmo pelo conhecimento, não acreditando nas mentiras das religiões, dos poderes, dos Estados...
      A sabedoria é o único poder maior. Aprende, para saberes mais do que eles.
      O conhecimento é a tua arma de guerra mais poderosa e destruidora. Usa-a, ataca, mata, destrói.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O Rápido Degelo da Gronelândia

      O maior degelo da Gronelândia (Dinamarca) de que há registo acaba de acontecer e foi verificado por satélite.
      A calote de gelo da Gronelândia derreteu quase por completo em apenas quatro dias. As imagens de satélite mostram que, entre 8 e 12 de julho, desapareceu 97% do gelo que cobria a superfície do território.
      Os cientistas da NASA (EUA) julgaram inicialmente existir algum erro, confrontados com o degelo mais vasto de que há registo nos 30 anos de observações de satélite da ilha, mas depois confirmaram os dados.
      Durante o Verão é habitual derreter cerca de metade do gelo da Gronelândia, mas a situação detetada agora é considerada bastante invulgar.
      Os cientistas alertam para as previsíveis consequências à escala planetária, desde logo no aumento do nível da água do mar, que costuma ser de três milímetros por ano. Lora Koenig, especialista em glaciares no centro Goddard da NASA, diz que os degelos assim rápidos acontecem todos os 150 anos e avisa que o deste ano pode ter vastas implicações. Já o climatólogo Thomas Mote, da Universidade da Geórgia, admite que este degelo extremo pode dever-se a uma cúpula de calor que cobriu a Gronelândia entre 8 e 16 de julho ou a uma vaga de ar quente particularmente forte.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Impostos e Pobreza

      De acordo com um relatório agora publicado pela “Tax Justice Network”, os cidadãos mais ricos do mundo colocaram pelo menos 21 biliões de dólares (17,27 biliões de euros) em paraísos fiscais, o equivalente ao produto interno bruto combinado norte-americano e japonês.
      O relatório desta organização não governamental de defesa da transparência fiscal justifica este valor com dados recolhidos junto do Banco Internacional de Pagamentos e do Fundo Monetário Internacional.
      James Henry, autor do relatório e antigo economista-chefe da consultora McKinsey, refere que este valor é cauteloso, referindo ainda que os mais ricos do mundo poderão ter escondido em paraísos fiscais, como as Ilhas Caimão e a Suíça, mais ainda: cerca de 32 biliões de dólares.
      «Estes ativos estão protegidos por um grupo de facilitadores profissionais, altamente pagos e diligentes, na banca privada e nos setores do direito, da contabilidade e dos veículos de investimento, que se aproveitam de uma economia global com cada vez menos fronteiras», disse o mesmo autor do relatório.
      Segundo o relatório, os dez maiores bancos privados geriram mais de seis biliões de dólares em 2010, contra 2,3 biliões cinco anos antes.
      A “Tax Justice Network” tem uma agenda contra os paraísos fiscais e a favor da transparência do sistema fiscal e tem um sítio na Internet, também em português, onde podes saber mais sobre este assunto e fica na seguinte ligação: http://www.taxjustice.net/cms/front_content.php?idcat=81&idart=96&client=1&changelang=8


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Olimpíada Popular

      Num dia como o de hoje (22 de julho) do ano de 1936 (há 76 anos), tinham início em Barcelona (Espanha) as “Olimpíadas Populares”.
      Estes jogos olímpicos alternativos foram criados para se oporem aos jogos olímpicos tradicionais que nesse mesmo ano decorriam em Berlim, sob o domínio do governo nazi de Adolf Hitler que usou tais jogos como um meio de propaganda do seu fascismo.
      Os jogos populares acabaram por ser adiados por causa da revolução espanhola que decorria, tendo os desportistas estrangeiros que compareceram tomado então conhecimento e até intervenção nos combates revolucionários.

domingo, 22 de julho de 2012

Amante Fanático da Liberdade

      «Sou um amante fanático da liberdade, considerando-a como o único espaço onde podem crescer e desenvolver-se a inteligência, a dignidade e a felicidade dos homens; não esta liberdade formal, outorgada e regulamentada pelo Estado, mentira eterna que, em realidade, representa apenas o privilégio de alguns, apoiada na escravidão de todos; (...) só aceito uma única liberdade que possa ser realmente digna desse nome, a liberdade que consiste no pleno desenvolvimento de todas as potencialidades materiais, intelectuais e morais que se encontrem em estado latente em cada um (...).»
      Mikhail Aleksandrovitch Bakunin ou, o aportuguesado: Miguel Bakunine (1814-1876)
      Filósofo anarquista, distanciou-se de Karl Marx por defender que as energias revolucionárias deveriam ser concentradas na destruição das “coisas”, no caso, o Estado, e não das “pessoas”.
      Bakunine criou grupos anarquistas em vários países do mundo e mesmo após a sua morte a sua influência é notada até aos nossos dias, designadamente, nas várias ações de protesto de rua, utilizando a tática da ação direta, tão bem descrita em toda a sua obra; nos movimentos ambientalistas, cooperativistas, de ocupação urbana, grupos locais de trabalho autogestionado, etc., todos carregam o germe da ideologia e pensamento de Bakunine, pois todos são, também, amantes fanáticos da liberdade.

sábado, 21 de julho de 2012

Esperanto

       Num dia assim como o de hoje (21 de julho) do ano de 1887 (há 125 anos), em Varsóvia (Polónia), uma pequena brochura denominada “O Primeiro Livro” aparecia assinada pelo pseudónimo "Doktoro Esperanto", pseudónimo usado por Louis-Lazare Zamenhof, linguista (1859-1917).
      A publicação tinha 40 páginas contendo um projeto de uma língua auxiliar internacional que todo o mundo conhece como Esperanto.
      Este idioma, de fácil aprendizagem pelos ocidentais, propõe-se ser a segunda língua de toda a humanidade, facilitando a compreensão e comunicação entre todos.
      Numerosos anarquistas adotaram de imediato esta língua, vendo nela a possibilidade de ultrapassar as barreiras nacionais, sendo um ótimo meio de difusão global dos ideais anarquistas.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Viemos em Paz em Nome de Toda a Humanidade

      Foi num dia como o de hoje mas do ano de 1969 (há 43 anos) que, pela primeira vez (e para já última), os humanos pisaram outro planeta.


      A Lua, o planeta satélite do nosso planeta Terra foi objeto de várias missões, sendo a missão “Apollo 11” (NASA/EUA) a primeira tripulada que pousou e caminhou na Lua. Esta missão era comandada pelo astronauta Neil Armstrong e foi ele o primeiro ser humano a caminhar na Lua.

      A chegada à Lua foi visionada pelas televisões de todo o Mundo. Foram 8 dias de missão que culminaram com 2 horas de caminhada pela Lua dos astronautas Armstrong e Aldrin.


      Abaixo está a imagem da placa comemorativa da chegada à Lua lá deixada há 43 anos, na qual se pode ver a representação do mapa-múndi e a mensagem, em língua inglesa: “Here Men From Planet Earth First Set Foot Upon The Moon. We Came In Peace For All Mankind”, isto é: “Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez a Lua. Viemos em paz em nome de toda a Humanidade”.


      Vê em baixo o pequeno vídeo com imagens reais da época e do momento em que se vê a primeira caminhada na Lua.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O Primeiro Dia da Revolução

      A imagem abaixo reproduz um cartaz alusivo ao incentivo à luta de 19 de Julho de 1936.
      Faz hoje 76 anos o primeiro dia da Revolução Espanhola, na qual todo um povo se levantou com armas ambicionando a construção de um futuro diferente das ameaças totalitárias que surgiam na Europa.
      A revolução teve início num dia como o de hoje, por volta das 4 horas da madrugada, quando as tropas fascistas saíram à rua, em Barcelona, e depararam-se com os trabalhadores armados e barricados nas ruas.
      Travaram-se violentos combates de rua, saindo o povo vitorioso, cerca do meio-dia, sobre as tropas fascistas, obrigadas a retirar-se aos seus quartéis. 

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Lembrar a Ação Espanhola


      Faz amanhã, 19 de julho, 76 anos que estourou a Revolução Espanhola, em 1936. Os trabalhadores ligados à CNT (Confederación Nacional del Trabajo), organização sindical de orientação anarquista combateram o golpe fascista e transformaram uma vasta região da Espanha (em especial na Catalunha) num novo mundo, autogestionário e sem Estado.
      O povo espanhol ousou sonhar e realizou o que até hoje foi o maior exemplo de organização social, baseada nos princípios políticos e económicos do anarquismo ou comunismo libertário: solidariedade, apoio mútuo, federalismo e autogestão.
      É por isso que a “Biblioteca Terra Livre”, em parceria com o “Centro de Cultura Social”, vem resgatar esta experiência com a exibição de quatro curtas da época:
      1. “Movimento revolucionário em Barcelona” (Movimiento revolucionario en Barcelona), 1936, preto e branco, 22min. Produzido por: CNT-FAI (Oficina de Información y Propaganda)
      2. Barcelona trabalha para frente (Barcelona trabaja para el frente), 1936, preto e branco, 23min. Produzido por: Comité Central de Abastos de Barcelona
     3. O enterro de Durruti (El entierro de Durruti), 1936, preto e branco, 11min. Produzido por: CNT-FAI
     4. Ajudar Madrid (Ayuda a Madrid), 1936, preto e branco, 7min. Produzido por: CNT-FAI (Oficina de Información y Propaganda).
      Porque as suas lutas são, ainda hoje inspiradoras.
      As películas serão exibidas na sua versão original, em castelhano e sem legendas, no próximo sábado, dia 21, pelas 17 horas, no Centro de Cultura Social, sito na Rua General Jardim, 253, sala 22, em São Paulo, Brasil.

terça-feira, 17 de julho de 2012

As Colheitas da Revolta


      Na próxima quinta-feira, dia 19 de julho, a “Tertúlia Liberdade” em parceria com o “Gaia”, promove na RDA69 (Rua Regueirão dos Anjos, 69, em Lisboa) uma sessão sobre a realidade dos campos da Andaluzia (Espanha) e a luta dos trabalhadores rurais camponeses, através do seu sindicato autónomo, assemblário e praticante de ação direta, o SAT/SOC = Sindicato Andaluz de Trabalhadores/Sindicato dos operários do Campo.
      Setenta anos após a morte de Franco, os camponeses na Andaluzia continuam submetidos à arbitrariedade dos latifundiários. Depois da morte do ditador alguns camponeses organizaram-se para viver de outra forma. Já antes tinham criado o seu sindicato autónomo, de classe e pela ação direta, o SOC. A sua luta tem-lhes permitido a melhoria constante das suas vidas.
      O programa é o seguinte:
      20H00 – Jantar Saudável (Vegano e Comunitário)
      21H00 – Exibição do documentário “As Colheitas da Revolta” que aborda a luta dos camponeses andaluzes e as suas conquistas, como o “pueblo de Marinaleda”.
      22H00 – Informação de elementos da “Tertúlia Liberdade” sobre a realidade rural andaluza e debate. Com elementos da “Tertúlia Liberdade” que visitaram a região e o sindicato.
      Mais info em:
      http://gaia.org.pt/
      E nas ligações permanentes aos sítios que encontras na coluna dos “Sítios a Visitar”.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ação em Seattle


      Ontem, 15 de julho, foram atacados dois bancos e uma filial da “Starbucks” em Seattle (EUA), partindo os vidros dos bancos.
      Numa nota anónima publicada pode ler-se:
      «É triste tantas pessoas perceberem como os bancos são instituições de exploração, mas, no entanto, passaram a não atacá-los, assim como atacar uma filial do “Starbucks” é, provavelmente, uma tradição nas manifestações de Seattle, desde a WTO.
      Estas ações foram realizadas em solidariedade com os 10 manifestantes condenados com longas penas de prisão há alguns dias em Itália, por causa da participação nas manifestações contra uma cúpula do G8, feita em Génova em 2001, bem como por aqueles que sofreram recentemente uma operação repressiva contra os anarquistas na Itália, conhecidos como "Ardire”.
      É importante recordar que em 2001 a polícia matou Carlo Giuliani, torturado e preso com centenas de pessoas. Também cumpre recordar que é sempre possível para milhares de pessoas se levantarem como fizeram em Génova em 2001 e atacarem essas manifestações do sistema podre que todos nós vivemos.»
      Assinado por: Alguns anarquistas...

domingo, 15 de julho de 2012

A Definição de Anarquista

      «Anarquista é, por definição, aquele que não quer ser oprimido, nem deseja ser opressor; é aquele que deseja o máximo bem-estar, a máxima liberdade, o máximo desenvolvimento possível para todos os seres humanos.»
      Errico Malatesta (1853-1932)

sábado, 14 de julho de 2012

Buenaventura Durruti


      Num dia como o de hoje mas do ano de 1896, nascia em León (Espanha) o notável anarcossindicalista e miliciano antifascista Buenaventura Durruti.
      Dizia:
      «Vamos a heredar la tierra. No hay la menor duda sobre eso. La burguesía puede arruinar e incendiar su propio mundo antes de que finalmente concluya esta etapa de la historia. No estamos asustados por la destrucción. Nosotros quienes aramos las praderas y construimos las ciudades podemos construirlas otra vez, sino mejor la próxima vez. Llevamos un mundo nuevo, aquí en nuestros corazones. Ése mundo está creciendo en este minuto.»
      Tradução:
      «Vamos herdar a Terra. Não há a menor dúvida sobre isso. A burguesia pode arruinar e incendiar o seu próprio mundo antes que finalmente conclua esta etapa da história. Não estamos assustados pela destruição. Nós os que lavramos as terras e construímos as cidades, podemos construí-las outra vez, senão até melhor da próxima vez. Transportamos um mundo novo, aqui nos nossos corações. Esse mundo está a crescer a cada momento, neste mesmo minuto.»
      Buenaventura Durruti Domínguez
      (1896-1936)
      Operário mecânico, anarquista, sindicalista e miliciano revolucionário de destaque no movimento libertário antes e durante a Guerra Civil Espanhola. Foi morto com um tiro quando se dirigia para a frente de batalha, em circunstâncias nunca totalmente esclarecidas.
 

sexta-feira, 13 de julho de 2012

A For Anarchy


      Num dia como o de hoje, 13 de julho, do ano de 1949 nascia Clifford Harper, em Chiswick (Oeste de Londres).
      Artista ilustrador e militante anarquista, desenhou o “A para o Anarquismo” que abaixo se reproduz e uma vasta obra anarquista, essencialmente focada na ilustração, sendo a mais conhecida a obra: “Anarchy: A Graphic Guide”, cuja primeira edição remonta a 1987, encontrando-se o artista hoje a reescrevê-la para uma nova edição.
      Clifford Harper é também o autor do primeiro “comic” anarquista que relata as vivências anarquistas numa comunidade, designava-se Class War Comix e abaixo podes também ver a capa da primeira edição.
      Mais info nas seguintes ligações e, na última ligação, acedes ao “comic”, a novela ilustrada anarquista Class War Comix que podes baixar.


quinta-feira, 12 de julho de 2012

El Surco #37


      Acaba de sair a última edição da publicação mensal anarquista editada em Santiago da região chilena. É o número 37, do corrente mês de julho de 2012, de “El Surco”
      Nesta edição, em língua castelhana, são abordados os seguintes assuntos:
- Editorial: Posdata al Caso Bombas. Lo que se va y lo que se queda.
- “Soy anarquista y ké”: Entrevista a Mónica Caballero, imputada y sobreseída en el Caso Bombas
- Paraguay y la resistencia al Golpe de Estado parlamentario a ojos de anarquistas
- Sobre arrogancia, anarquía y otras costumbres (opinión)
- Silueta de agitadores: Manuel Montano, un carpintero anarquista
- Anarquismo y Evangelio (segunda parte y final)
- Sección de información anticarcelaria.
- Poema La Aberración de Castro
- Reseñas: Libro “La VOP 1969-1971, historia de una guerrilla olvidada” y Documental “Balmes, el doble exilio de la pintura”
      Podes baixar este número na seguinte ligação:

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Guerra, Guerra!

      Cerca de 200 mineiros, de capacete na cabeça e lanternas acesas, chegaram a Madrid, após dois meses de greve, 19 dias de caminhada em que percorreram mais de 400 Km, formando a “marcha negra” sobre a capital espanhola.
      Em frente à sede do Governo espanhol, gritaram: "Se isto não se resolve, guerra, guerra!"
      A marcha era composta por dois grupos de mineiros, uma coluna vinda do Norte (das Astúrias e León) e outra vinda do Sul (de Aragão).
      Se fecharem as minas não teremos mais nada”, disse Francisco Martim, mineiro de 35 anos.
      Devemos fazer o Governo tomar consciência de que as localidades mineiras devem sobreviver”, disse António Risco, de 52 anos, 22 deles passados no fundo da mina.
      Os mineiros saíram à rua para protestar contra o corte, por parte do Governo, do financiamento à indústria do carvão, que já este ano rondará os 63%, de 301 milhões de euros para 111 milhões de euros, mas para além deste corte, e por decisão de Bruxelas, o apoio ao setor mineiro deve terminar em 2018, o que, segundo vários sindicatos espanhóis, irá pôr em causa cerca de 30 mil empregos, direta ou indiretamente.
      Jorge Garcia, de 42 anos, acabados de fazer na estrada, está há 17 anos numa mina em Laciana, León e, em entrevista ao jornal espanhol “El Mundo”, criticou os cortes ao setor mineiro, dizendo: “O trabalho é duro, mas é a única opção que temos nos sítios onde vivemos. Se fecharem as minas vão desaparecer muitas povoações”. Também contesta quem diz que os mineiros usufruem de vários privilégios: “Ganhar 1000 a 1300 euros por mês por um trabalho de nove horas em condições duríssimas é um privilégio? E a reforma aos 45 anos tem uma justificação, o corpo não aguenta mais”.
      À chegada a Madrid os mineiros obtiveram o apoio e a junção de milhares de pessoas e, bem assim, da polícia que causou, com a sua intervenção, 73 feridos, destes sendo 40 manifestantes e 33 polícias.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Índios Atacam Polícia


      Na passada semana, na terça-feira, um grupo de 60 índios do grupo Munduruku incendiaram um quartel da Polícia Militar do município de Jacareacanga, Estado do Pará (Brasil).
      O prédio da delegacia policial foi destruído e incendiado, ficando em ruínas. Os índios tomaram as armas do quartel: duas metralhadoras e um revolver.
      Os índios chegaram pintados com pinturas de guerra, bloquearam a estrada de acesso à zona urbana e dirigiram-se ao posto policial onde estavam quatro polícias que não ofereceram qualquer resistência e puseram-se de imediato em fuga.
      A revolta teve início após a decisão de um juiz que concedeu liberdade a dois dos quatro suspeitos pela morte do índio Leo Akay Munduruku.
      Leo Akay foi encontrado morto com várias marcas de facadas no corpo. De acordo com a polícia, o índio teria sido morto por assaltantes durante um roubo. Dois homens foram apontados como suspeitos do crime.
      Testemunhas referem que o índio Aldo Cardoso Munduruku, líder do grupo, tinha a intenção de fazer refém o sargento Cajado da Polícia Militar, tendo gritado que os índios iam pegar o sargento Cajado, tirar a roupa dele e amarrá-lo, porque se o “branco” tinha matado o índio escondido, os índios iam matar o sargento para todo mundo ver.
      Os Munduruku, temidos pelo espírito guerreiro, têm forte presença na vida social e económica de Jacareacanga, cidade com 37 mil habitantes. Dos nove vereadores da cidade, quatro são índios. O vice-prefeito também pertence à etnia. Cerca de seis mil índios vivem na região.
      Durante o ataque um polícia ficou levemente ferido por uma flecha que o atingiu no braço direito.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

A Tua Vida

      Lê-se na parede:
      «As tuas mãos são dos Bancos, a tua alma da Igreja, a tua dignidade está pelo chão e a tua vida continua na miséria.»

domingo, 8 de julho de 2012

Os Que Deixam

      «O Mundo é um lugar perigoso para viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.»
      Albert Einstein (1879-1955)
      Físico teórico alemão radicado nos E.U.A.
       Em 2009, um grupo de 100 físicos de renome, elegeram Einstein como o mais memorável físico de todos os tempos.
       Einstein é conhecido por desenvolver a teoria da relatividade. Recebeu o Nobel de Física de 1921, pela correta explicação do efeito fotoeléctrico. O seu trabalho teórico possibilitou o desenvolvimento da energia atómica, apesar de não prever tal possibilidade. Devido à formulação da teoria da relatividade, Einstein tornou-se mundialmente famoso. Nos seus últimos anos, a sua fama excedeu a de qualquer outro cientista na cultura popular: "Einstein" tornou-se um sinónimo de génio. Foi, por exemplo, eleito pela revista “Time” como a "Pessoa do Século", e a sua face é uma das mais conhecidas em todo o mundo. Em 2005 celebrou-se o Ano Internacional da Física, em comemoração dos cem anos do chamado annus mirabilis (ano miraculoso) de Einstein, em que este publicou quatro dos mais fundamentais artigos científicos da física do século XX. Em sua honra, foi atribuído o seu nome a uma unidade usada na fotoquímica, o “einstein”, bem como a um elemento químico, o “einsténio”.

sábado, 7 de julho de 2012

Dentro de Um Buraco Negro

      Nikodem Poplawsky é um físico teórico da Universidade de Indiana (EUA) que afirma que o nosso Universo está dentro de um Buraco Negro, ou melhor, é o interior de um Buraco Negro, fora do qual se encontra outro Universo.
      Para Poplawsky, cada buraco negro (regiões no espaço onde nada, nem mesmo objetos que se movam à velocidade da luz, consegue escapar) produziria um universo diferente.
      A sua teoria pode explicar-se se se conceber o espaço-tempo como uma varinha unidimensional que se torce. Este mecanismo de torção é capaz de decompor a matéria em eletrões e em quarks (partículas subatómicas ínfimas) e a antimatéria em matéria escura. Dito de outro modo, esta torção seria a fonte de energia que se estende pelo espaço e que aumenta a taxa de expansão do universo.
      E como já é minimamente assente, entre a comunidade astrofísica, que o universo está em expansão, esta é a prova que Poplawsky achou suficiente para o fenómeno de torção.
      No campo da especulação científica, Poplawsky tem sido contestado, mas revistas importantes da área, como a Physics Letters B, têm publicado os seus trabalhos.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

As Redes Sociais

      Estudo realizado pela Salford Business School da Universidade de Salford, no Reino Unido, afirma que as redes sociais na Internet como o Facebook ou o Twitter aumentam a ansiedade dos utilizadores.
      Segundo o estudo, cujo universo são os utilizadores de Internet, mais de metade dos inquiridos considerou que as redes sociais mudaram o seu comportamento e metade indicou que as suas vidas foram alteradas para pior.
      Dois em cada três inquiridos adiantaram também que era difícil relaxar e até dormir após passarem algum tempo a navegar nas redes sociais e um quarto admitiu enfrentar dificuldades nos seus relacionamentos e no trabalho.
      53% dos inquiridos disse que o lançamento das redes sociais mudou as suas vidas, sendo que a maioria considerou que a mudança teve um impacto negativo.
      O estudo também demonstrou o vício em relação à Internet, com 55 por cento a afirmar que se sentiu «preocupado ou desconfortável» quando não conseguiu aceder ao Facebook ou às contas de correio electrónico.
      Na sua maioria, os inquiridos sentiram necessidade de desligar os seus aparelhos eletrónicos para fazer um “intervalo” na Internet.
      Os resultados do estudo foram ainda surpreendentes pelo elevado número de pessoas que afirmaram que a única forma de interromper a ligação à Internet era desligar telemóveis, BlackBerries ou computadores, uma vez que são incapazes de pura e simplesmente ignorar os dispositivos.