segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Anonymous / WikiLeaks

      Acabam de ser detidos cinco alegados membros do grupo de ciberativistas “Anonymous”, conhecidos por lançarem ataques informáticos contra sítios na Internet de entidades que não apoiam e/ou boicotam o “WikiLeaks”.

      As detenções foram efectuadas pelas forças policiais britânicas, em conjunção com forças dos EUA.
      De acordo com um comunicado emitido pela Polícia de Londres «as detenções estão relacionadas com os recentes ataques de “distributed denial of service” (DDoS, um tipo de ataque informático que consiste no envio massivo de pedidos de acesso a um “site”, que acaba por colocar a página “offline”), ataques estes lançados e até anunciados por um grupo auto denominado Anonymous».
      Nos EUA, o FBI revelou ter feito mais de 40 buscas a alegados membros do grupo de ciberativistas, no âmbito da mesma investigação.
      As forças policiais norte-americanas acusam ainda os suspeitos de terem disponibilizado gratuitamente na Internet o “software” utilizado nos ataques organizados pelo grupo.
      O grupo de ciberativistas “Anonymous”, assume-se defensor da liberdade de expressão na Internet, tendo dado o salto para a ribalta no mês passado quando lançou ataques de “DDoS” contra os sites de empresas como a Amazon, Visa e Mastercard, entre outras entidades, acusadas de não darem apoio ao “WikiLeaks”.
      Os detidos no Reino Unido tinham idades entre os 15 e os 26 anos e foram entretanto libertados depois de paga uma fiança.
      O grupo também já reagiu às detenções, considerando a investigação em curso como «um erro triste» e promete retaliações contra o Governo britânico.


domingo, 30 de janeiro de 2011

Até Todos Serem...

      «Ninguém pode ser perfeitamente livre até todos serem livres; ninguém pode ser perfeitamente moral até todos serem morais; ninguém pode ser perfeitamente feliz até todos serem felizes.»
       Herbert Spencer
       Filósofo inglês (1820-1903)

sábado, 29 de janeiro de 2011

A Revolução Popular

      Depois da Tunísia, o Egito e também o Iémen, a pressão exercida nos povos acaba sempre, ainda que às vezes tarde demais, por provocar este tipo de reação. Ninguém aguenta eternamente a pobreza, a ocupação, a falta de liberdade, a opressão constante. 
      O mundo ocidental já passou por muitas revoltas e revoluções que foram eliminando ditadores e melhorando um pouco as liberdades essenciais dos cidadãos, ao mesmo tempo que foram obtendo melhores condições de trabalho e de vida, hoje postas em crise com a crise financeira de alguns, o que também tem vindo a salpicar, principalmente a Europa, com revoltas temporárias que vão sendo acalmadas com o ópio da ilusória televisão, mas no mundo islâmico estas revoltas espontâneas só vinham acontecendo contra o mundo ocidental e por motivos essencialmente estupido-religiosos. 
      Hoje assistimos a um novo tipo de manifestação popular nestes povos, a revolta contra os seus governantes, assistimos a este pôr em causa os poderes instituídos e com que intenção? O pão diário, as liberdades essenciais, as suas próprias vidas, sem, de momento, mais nenhuma outra intenção que não seja a sua própria e intransigente libertação, após tanta opressão. 
      Na Tunísia a persistência do povo na rua tem conseguido muito e praticamente tudo o que reclamam, no Iémen, milhares de pessoas saíram às ruas, muitas com pão ou flores nas mãos, para se manifestar contra o regime. No Egito as confrontações para depor o ditador que há 30 anos oprime têm sido violentas, contabilizando-se já 90 mortos e cerca de 2500 feridos mas o povo não cede e mantém-se na rua confrontando o exército que, em vez de defender o seu povo, defende o seu ditador. 
      O povo, com a sua voz, a sua união, algumas pedras, lixo a arder e muita determinação pode mudar a sua vida e a vida de todos os outros, vizinhos e, para além destes, o Mundo inteiro mudará também.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Fim-de-semana na Casa Viva

      Já amanhã, sábado 29 de janeiro, a partir das 19H00, haverá “rock” e “indie” com “João Losa & Dantraxx KID” e “Elektra Zagreb”.

      No dia seguinte, domingo 30 de janeiro, a partir das 20H00, tocarão as bandas de “Death Metal”: “Meido” do País Basco e “Plus Ultra”, portuguesa.
      As entradas são sempre gratuitas.
      A Casa Viva está na Praça Marquês de Pombal, no nº. 197, no Porto (Portugal).
      Mais info em: http://casa-viva.blogspot.com e http://radiocasaviva.blogspot.com e sempre com ligações permanentes na coluna dos “Sítios a Visitar”.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O Telemóvel (Celular)

      A Biblioteca Observatório dos Estragos da Sociedade Globalizada (BOESG), apresenta no próximo sábado, dia 29 de janeiro, o projeto com lançamento da brochura "O telemóvel, gadget de destruição massiva".

      Haverá jantar vegetariano.
      A BOESG fica na Rua das Janelas Verdes, nº 13, 1º Esq. (Santos), Lisboa, Portugal.
      Mais info em http://www.boesg.blogspot.com/ e sempre com ligação permanente na coluna dos “Sítios a Visitar.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Todas as Canções

      Na próxima sexta, dia 28 de janeiro, será apresentado o livro de partituras com o título de “José Afonso, Todas as Canções”, contendo 159 canções da autoria de José Afonso.

      Será às 21H30, na Fundação Escultor José Rodrigues, no Porto (Portugal), com a participação dos autores: Guilhermino Monteiro, João Lóio, José Mário Branco e Octávio Fonseca.
      O músico José Mário Branco (também autor da obra) explicou que a edição deste livro servirá para "lutar contra a tendência de colocar Zeca Afonso na gaveta do canto de intervenção e também para quem quiser aprender [a tocar as canções do compositor] com a certeza de que tem a transcrição fiel".
      No prefácio, os quatro autores criticam o "analfabetismo musical" e o "mau gosto" de diretores de programas de rádio e de televisão que ignoram a obra de José Afonso e enaltecem o facto de "ser o autor mais cantado por todas as gerações e diferentes escolas de músicos".
      José (Zeca) Afonso morreu em 1987, deixando uma obra discográfica que "constitui um manancial inesgotável de inspiração e de aprendizagem", concluem os organizadores que constituem o Núcleo do Norte da Associação José Afonso.
      A Fundação Escultor José Rodrigues fica no Porto, na Rua da Fábrica Social (no Bairro da Fontinha, perto do JN)
      Mais info em: http://vejambem.blogspot.com/ e http://www.joserodrigues.org/  


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Ação de Solidariedade

      No passado dia 15 de janeiro, a Secção Portuguesa da A.I.T. realizou uma concentração de solidariedade em frente ao Hotel Vincci, na Baixa de Lisboa (a única unidade desta cadeia de hotéis em Portugal). Durante cerca de uma hora foram distribuídos comunicados a trabalhadores e clientes do hotel, assim como aos transeuntes. Exibiu-se ainda uma faixa e um cartaz onde se lia, respectivamente, “Face à exploração laboral não cruzes os braços! Organiza-te e luta!” e “Hotel Vincci-Granada explora e despede vítima de acidente laboral! Readmissão Manuel Puente!”.

      Esta ação respondeu a um apelo do sindicato CNT-AIT de Granada (Espanha) para a realização de concentrações no dia 15 de Janeiro em frente a hotéis da cadeia Vincci, em solidariedade com o seu membro Manuel Puente, que foi despedido pelo Hotel Vincci de Granada, quando se encontrava de baixa, após ter sofrido um acidente laboral. Esta cadeia de hotéis tem unidades sobretudo em Espanha, mas também na Tunísia, Estados Unidos e Portugal.
      Texto do comunicado distribuído em:
      http://ait-sp.blogspot.com/2011/01/o-hotel-vincci-explora-e-despede.html
      Manuel Puente, membro do sindicato CNT – Confederación Nacional del Trabajo (secção da AIT em Espanha) trabalhava há mais de sete anos no hotel Vincci de Granada, e sofreu um acidente de trabalho que lhe provocou lesões físicas que o impedirão de trabalhar durante vários anos.
      A prática laboral desta cadeia de hotéis destaca-se pelos despedimentos premeditados nos últimos meses, pelo recurso reiterado a empresas de trabalho temporário em detrimento do emprego fixo e pelo incumprimento sistemático do acordo coletivo do sector. Mas destaca-se fundamentalmente pelos níveis cada vez maiores de exploração exercida sobre os trabalhadores, que se vêem obrigados a trabalhar horas extraordinárias, em funções diferentes daquelas para as quais foram contratados e sujeitos a todo o tipo de agressões contra os direitos mais básicos de qualquer trabalhador.
      Mais info na ligação permanente da coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “A.I.T. - Sec. Portuguesa”


segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A Puta da Tua Vida

      A Tertúlia Liberdade, em colaboração com o GAIA, iniciará na próxima quinta-feira, dia 27 de janeiro, uma série de debates mensais sob o tema: “O que queres fazer da puta da tua vida?”

      Este primeiro debate terá como convidado Marco Montenegro.
      A partir deste primeiro debate o coletivo diz querer desenvolver o tema dos debates e “perceber o que queremos fazer no meio desta merda e como”.
      Assim, a puta da tua vida estará em debate, a partir das 21H00, no espaço “RDA” da Rua Regueirão dos Anjos, nº. 57 (metro Anjos), em Lisboa, e em todas as seguintes últimas quintas-feiras de cada mês.
      A “Tertúlia Liberdade” e a “G.A.I.A.” têm ligações permanentes na coluna dos “Sítios a Visitar”.


domingo, 23 de janeiro de 2011

O Teu Molho

      «A liberdade de eleições permite-te a escolha do molho com o qual serás devorado.»

      Eduardo Galeano (Eduardo Hughes Galeano), nasceu em Montevideu (Uruguai), em 3 de setembro de 1940, é um jornalista e escritor. Autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas, as suas obras transcendem géneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e História.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Comida, Bombas Não!

      O coletivo “Comida, Bombas Não!” realizará amanhã (23 de janeiro) mais uma iniciativa de distribuição de comida vegetariana grátis, no Barreiro (Portugal), a partir das 12H00, no Largo 1º de Maio (Parque Catarina Eufémia), junto à estátua do Alfredo “Veggie” da Silva.

      Mais info nas seguintes ligações:
http://www.facebook.com/pages/Comida-Nao-Bombas/156817337673298?v=info
http://foodnotbombsinportugal.blogspot.com/
      Na coluna dos “Sítios a Visitar” há uma ligação permanente para este coletivo (Comida, Bombas Não).

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Veredas

      O Centro de Cultura Libertária passará amanhã, 22 de janeiro, pelas 16H30, o filme de João César Monteiro, intitulado “Veredas”, de 1977 (123 minutos).

      «A senhora não sabe a história do burrinho? Quer que eu lhe conte a história do burrinho? Então vou contar...»
      O Centro de Cultura Libertária fica na Rua Cândido dos Reis, nº. 121, 1º Dto., Cacilhas, Almada (Portugal).
      Mais informação na ligação permanente na coluna dos “Sítios a Visitar” com a indicação de “Centro Cultura Libertária”.


quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Julgamento das Células de Fogo

      O julgamento dos 13 suspeitos gregos anarquistas acusados de terrorismo, começou esta semana mas, logo no início foi interrompido.

      Os acusados começaram de imediato por denunciar o controlo das pessoas à entrada da prisão onde está instalado o tribunal antiterrorista de Atenas, abandonando a audiência e protestando contra o controlo policial que inclui a identificação e registo de todos aqueles que querem assistir ao julgamento, muitos deles, familiares e amigos.
      Recorde-se que o processo envolve 13 supostos membros do grupo anarquista "A Conspiração das Células de Fogo", que assumiu o envio de pacotes-bomba a dirigentes europeus.
      Os acusados têm idades entre os 19 e os 30 anos e como são acusados de "pertencerem a uma organização terrorista", podem vir a ser condenados numa pena de prisão de até 25 anos.
      Dos 13 acusados só compareceram 9, encontrando-se 4 ausentes e julgados à revelia.
      A juíza do julgamento (Maria Mariellu) foi por diversas vezes interpelada por pessoas que assistiam à audiência, tendo acabado por decidir interromper a sessão. Finalmente, determinou que as mulheres dos acusados se retirassem do tribunal e que os debates fossem gravados para posterior transcrição.
      Um dos acusados, Haris Hatzimihelakis, de 22 anos, estudante de engenharia, chegou a pedir que os policias que impediam os familiares e camaradas de assistir ao julgamento saíssem da sala.
      Outro acusado, Panayotis Argyru, de 22 anos, preso em novembro em Atenas quando levava uma carta-bomba dirigida ao presidente da França, Nicolas Sarkozy, ameaçou "abandonar a audiência" se a polícia realizasse interrogatórios às pessoas que assistiam ao julgamento.
      Prevê-se que este julgamento venha a durar vários meses.


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Pierre-Joseph Proudhon

      Foi num dia assim, como o de hoje, corria o ano de 1865 (há 146 anos) que em França morria Pierre-Joseph Proudhon.

      Filósofo político e economista francês, foi o primeiro indivíduo a se autoproclamar anarquista, sendo hoje considerado o pai do anarquismo e um dos mais influentes escritores e organizadores anarquistas.
      A sua primeira e maior obra foi publicada em 1840 sob o título de “O que é a Propriedade? Pesquisa sobre o Princípio do Direito e do Governo”.
      A publicação deste livro atraiu a atenção das autoridades francesas, atraindo também o interesse de Karl Marx que com ele se começou a corresponder, iniciando uma amizade e troca de ideias que veio a terminar quando Marx escreveu o texto “A Miséria da Filosofia”, como resposta provocatória ao escrito anteriormente publicado por Proudhon intitulado: “Sistema das Contradições Económicas ou a Filosofia da Miséria”.
      Na obra “Confissões de um Revolucionário”, Proudhon afirmou que “anarquia é ordem”, afirmação que veio a dar origem ao símbolo anarquista que consiste na letra “A” (de Anarquia) rodeada pela letra “O” (de Ordem).


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O Primeiro Ano da Aurora Obreira

      A revista anarcossindical “Aurora Obreira” comemora o seu primeiro aniversário. Foi precisamente no dia 18 de janeiro do ano passado que, em artigo aqui publicado, se dava a conhecer o primeiro número desta revista, que também aqui se foi divulgando ao longo de todo o ano de 2010.

      A última edição (a nº. 7: janeiro-fevereiro) está disponível na seguinte ligação:
      http://cob-ait.net/pdf/auroracps_07.pdf
      Neste primeiro número de 2011 destaca-se o material em esperanto, o I Congresso Operário Brasileiro e a continuação da entrevista com Noam Chosmsky.
      Os temas abordados são os seguintes:
   – Preambulo para o IV Congresso Operário Brasileiro
   – Política não me interessa
   – Resoluções do 1º Congresso Operário Brasileiro
   – El: Dio kaj Štado - Mikaelo Bakunin
   – 10 Proposições contra a Propriedade
   – A Relevância do anarcossindicalismo
   – Não alimente as feras!
   – Anarquismo e Anarcossindicalismo Sergipano
   – Uma história do tempo do comunismo de estado russo
   – Anarquismo Militante
   – Totalitarismo e antifascismo
      A revista é elaborada e editada pela Secção de Campinas da Federação Operária de São Paulo (FOSP) (Brasil).
      Vê na coluna dos Sítios a Visitar as seguintes ligações:
   http://fosp.anarkio.net  (Sindivários: Sindicato de Artes e Ofícios Vários)
   http://cob-ait.net  (Confederação Operária Brasileira)
   http://cob-ait.net/fosp/  (Federação Operária de São Paulo)


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O Jovem que Derrubou o Ditador

      Mohamed Bouazizi teria cerca de 20 anos, era um apaixonado pelas ciências informáticas e sonhava com uma carreira no mundo das novas tecnologias mas vivia na Tunísia, um país com um ditador no poder há 23 anos.

      O ditador Ben Ali e a sua família ainda controlam a economia após uma vaga pouco transparente de privatizações, o trabalho está reservado àqueles que têm sorte ou aos que gozam de relações privilegiadas com a diminuta e poderosa elite de Tunes. Na Tunísia, como em outros tantos países, não são as qualificações ou o mérito que determinam o sucesso. É antes o nome, o casamento ou a filiação partidária.
      No desemprego, Bouazizi viu-se forçado a vender frutas e legumes nas ruas da sua cidade natal do centro-oeste, Sidi Bouzid, para alimentar a família. Mas não tinha a necessária licença de comércio, difícil de obter no labirinto da burocracia e corrupção tunisina. A 17 de Dezembro de 2010, a polícia confiscou-lhe a banca e a balança. Segundo testemunhos locais, terá sido agredido e humilhado pelas autoridades.
      Nesse mesmo dia, Bouazizi deslocou-se à autarquia de Sidi Bouzid para tentar regularizar a situação. Não conseguiu.
      Com o dinheiro que restava, comprou um litro de gasolina. Despejou o combustível sobre a cabeça e imolou-se pelo fogo.
      Com este ato incendiou-se também a revolta dos tunisinos. A notícia do radical protesto foi inicialmente censurada pela imprensa estatal, mas a história espalhou-se pelas redes sociais da Internet, como o Facebook, o Twitter e o YouTube.
      Milhares de jovens desempregados começaram a sair às ruas. Vários licenciados sem trabalho, como Houcine Néji, de 24 anos, seguiram o exemplo de Bouazizi e cometeram suicídio pelo fogo ou subindo a postes de alta tensão.
      Apesar dos ferimentos graves, Bouazizi não morreu de imediato. Foi transferido para uma unidade de queimados do hospital de Ben Arous, nos arredores da capital tunisina (Tunes). Quando o regime pensava ainda poder conter a vaga de contestação, o Presidente foi visitá-lo. Desejou-lhe as melhoras e prometeu prestar-lhe todo o auxílio possível. Mas Ben Ali e Mohamed Bouazizi eram dois homens condenados que se olhavam mutuamente.
      O jovem de 23 anos morreu a 4 de Janeiro. Milhares compareceram no funeral, no dia seguinte. «Hoje choramos a tua morte, amanhã vamos fazer chorar quem te matou», era um dos slogans na cerimónia transformada em comício.
      Não se sabe se Bouazizi se terá apercebido da revolta que despoletara. O que é certo é que não assistiu à sua conclusão.
      Ao fim de quase um mês de violentos protestos que vitimaram perto de uma centena de pessoas (pouco mais de 20, segundo o regime), o Presidente Ben Ali dissolveu sexta-feira o Parlamento e fugiu do país. Segundo as últimas informações, o ditador deposto encontra-se na Arábia Saudita. A Tunísia, pela primeira vez após séculos de colonialismo e décadas de autoritarismo, encontra-se entregue aos cidadãos.

domingo, 16 de janeiro de 2011

A Natureza Não Tem Leis

      «Para nós, todas as formas de determinismo são igualmente insípidas; não somos escravos nem dos nossos genes nem das nossas máquinas. O que é "natural" é aquilo que imaginamos e criamos. A natureza não tem leis, apenas hábitos.»

      Hakim Bey,
      pseudónimo de Peter Lamborn Wilson (n.1945-)
      Citação extraída da obra “Paleolitismo Psíquico e Alta Tecnologia”
      Historiador, escritor e poeta, pesquisador do Sufismo (corrente mística e contemplativa do Islão), bem como da organização social dos Piratas do século XVII, teórico libertário cujos escritos causaram grande impacto no movimento anarquista das últimas décadas do século XX e início do século XXI.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Anonymous & WikiLeaks

      Para este sábado, dia 15 de Janeiro, foi convocado um primeiro protesto global a favor da Wikileaks e da liberdade de expressão. As manifestações ocorrerão por diversas cidades.

      Os “Anonymous” portugueses, através do “Portugal Anónimo”, vão estar no sítio do costume: na Brasileira do Chiado (Lisboa).
      A seguir está um extrato das intenções dos “Anónimos” portugueses:
      «Desde o seu início, a Internet tem proporcionado novas formas para as pessoas em todo o mundo de exercer os direitos de liberdade de expressão, liberdade de imprensa e liberdade de reunião. Esses direitos não são simplesmente os benefícios de uma sociedade livre, são os próprios meios de preservar a liberdade da sociedade.
      O recente aumento da interferência do governo com estas liberdades coincide com o fracasso da média corporativa para cumprir o seu papel vital no controlo dos abusos das autoridades. Já a censura e abdicação dos jornalistas deixaram os cidadãos numa situação de incapacidade para responsabilizar os governos.
      “WikiLeaks” surge para preencher o vazio deixado pelos media tradicionais, garantindo a informação necessária aos cidadãos para responsabilizar os governos. E, mesmo assim, ainda não lhe foi reconhecida a proteção legal geralmente oferecida aos jornalistas. Em vez disso, a organização tem sido caluniada e o apoio monetário bloqueado por governos e corporações privadas.
      A causticidade dirigida à “WikiLeaks” demonstra um inquietante desprezo pelo princípio fundamental da livre troca de informações e ideias. Membros de uma sociedade livre não devem permitir que informações sejam reprimidas simplesmente porque são inconvenientes para os que estão no poder. Partilhamos a responsabilidade de defender as liberdades fundamentais.
      A hora de agir é agora. Somos anónimos, um movimento sem liderança que trabalha incansavelmente para combater todas as formas de censura na Internet a nível global por excesso de uso de filtros de conteúdos exigidos pelo governo. As nossas iniciativas incluem ações como as de apoiar grupos dissidentes no Irão, Zimbabué e na Tunísia, bem como em travar a batalha de informação altamente visível contra a Igreja da Cientologia.
      Estamos agora preparados para levar a luta para o cenário mundial. Juntem-se a nós em 15 de janeiro para o primeiro de uma série de protestos globais em defesa da liberdade de expressão e da “WikiLeaks”. Estejam connosco para defender as vossas liberdades.»
      Mais info nas seguintes ligações:
http://www.whyweprotest.net/en/
http://forums.whyweprotest.net/events/
e também na ligação permanente aos sítios da Wikileaks na coluna dos Sítios a Visitar, sob a designação de “Wikileaks Listas”.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Inscrições no Encontro ELAOPA

      No artigo aqui publicado no passado dia 8, informava-se que as inscrições para o IX (9º) ELAOPA (Encontro Latino Americano de Organizações Populares), a realizar nos dias 22, 23 e 24, em São Paulo (Brasil), terminavam no dia 10. Pois foram prorrogadas até ao dia 20.

      Esta prorrogação foi necessária porque apesar de haver cerca de 300 pessoas inscritas, nem 100 depósitos foram efetuados, pelo que a organização ainda tem prejuízo e necessita angariar mais dinheiro, esperando, com esta prorrogação, angariar mais depósitos de 25 reais por cada inscrição e afirmando que cobrará 30 reais após o termo deste novo prazo de inscrição ou as efetuadas no próprio dia.
      Mesmo para as pessoas que estão fora do Brasil é necessário incrição para que haja uma ideia dos participantes e assim poder preparar a alimentação e a infraestrutura para todos receber.
      O local do encontro será no Centro de Formação Campo Cidade do MST/Regional SP na cidade de Jarinú, Grande São Paulo.
      Inscrições e dúvidas pelo email: ixelaopa@riseup.net
      Mais info em: http://www.elaopa.org  


quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Joe Hill

      Num dia como o de hoje, corria o ano de 1914 (há 97 anos), o anarco-sindicalista Joe Hill, nascido com o nome de Joel Emmanuel Hägglund, também conhecido como Joseph Hillström (1879ou1882–1915), era preso, acusado de homicídio, vindo a ser executado no ano seguinte, após um controverso julgamento.

      Nascido na Suécia e erradicado nos Estados Unidos da América, foi compositor, músico e libertário, fazendo parte da organização libertária: Industrial Workers of the World (IWW).
      Depois de sua morte foram compostas diversas canções folk em sua memória.
      Dizia:
      «Trabalhadores do mundo acordem. Quebrem as vossas correntes e exijam os vossos direitos. Toda a riqueza que produzis é tomada por parasitas exploradores. Será que vos deveis ajoelhar em profunda submissão, do berço ao cemitério? Será que o peso das vossas ambições vos limita a sereis apenas bons escravos voluntários?»


quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Cinema Okupa

      Inserido no mês de cinema Okupa, a Casa Viva, na segunda edição, exibirá um novo filme mas, desta vez, noutro local, na Terra Viva.

      Esta segunda sessão ocorrerá às 22H00 horas da próxima sexta-feira (dia 14), sendo a entrada livre.
      O filme é “La estratégia del caracol”, de Sergio Cabrera (113'), co-produção de Itália, Colômbia e França. 1993. Em castelhano (Espanhol), com legendas em Inglês.
      É uma ficção sobre os desalojamentos das zonas pobres da Bogotá (Colômbia). Um filme bem humorado, inspirado numa notícia que Sergio Cabrera encontrou num jornal colombiano: Os ocupantes da Casa Uribe estão a ponto de serem desalojados, apesar de estarem a ocupá-la há décadas. O dono, um rico prepotente, reclama a sua propriedade para conservá-la como monumento da Bogotá de então. O advogado do edifício e os ocupantes da casa fazem de tudo para fazer valer os seus direitos frente à lei. Mas como já se sabe quem ganha nestas disputas entre pobres e ricos, o senhor Jacinto, um ex-anarquista espanhol, propõe um plano peculiar...
      A Terra Viva está na Rua dos Caldeireiros, nº. 213, no Porto (Portugal).
      Mais info em: http://terraviva.weblog.com.pt ou na ligação permanente da coluna dos Sítios a Visitar sob a designação de Terra Viva.


terça-feira, 11 de janeiro de 2011

A Plebe Campinas #50

      Já está disponível para ler e/ou baixar o último boletim, o nº. 50, deste mês de janeiro, do Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Campinas (Brasil), “A Plebe”, na seguinte ligação: http://fosp.anarkio.net/aplb_cps/aplebecampinas_050.pdf

      A seguir fica um pequeno extrato exemplificativo do conteúdo:
      «O medo e a covardia assolam os trabalhadores e desta vez em forma de conformismo com a prisão que os patrões, gerentes e empresários, construíram junto com trabalhadores pelegos e corporativos, preocupados apenas com sua existência e de nenhum companheiro mais.»
      Mais info na coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “Sindicato Campinas SP Br”.


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Francisco Ferrer Guardia

      Num dia como o de hoje mas do ano de 1849 (há 162 anos), nascia em Espanha Francisco Ferrer Guardia, notávelpensador anarquista catalão, criador da Escola Moderna (1901) e de um projeto prático de pedagogia libertária.

      Ferrer foi executado em 1909, após perseguições do Estado e da Igreja, sendo acusado de ser o mentor intelectual de agitações populares em Espanha e, por isso, fuzilado.
      Em reacção à sua execução o movimento operário em diversos países protestou, sendo duramente reprimido e muitos sujeitos a prisão.
      O método e filosofia de educação de Ferrer espalhou-se, após a sua morte, por todo o Mundo.
      Criou os conceitos educativos denominados por Escola Moderna, um movimento de pedagogia libertária que consistia num movimento internacional de educação e apoio dos trabalhadores e jovens.
      A seguir estão os princípios da Escola Moderna:
      1 – A educação da infância deve fundamentar-se sobre uma base científica e racional; em consequência, é preciso separar dela toda a noção mística ou sobrenatural;
      2 – A instrução é parte da educação. A instrução deve compreender também, junto à formação da inteligência, o desenvolvimento do carácter, a cultura da vontade, a preparação de um ser moral e físico bem equilibrado, cujas faculdades estejam associadas e elevadas ao seu máximo de potência;
      3 – A educação moral, muito menos teórica do que prática, deve resultar principalmente do exemplo e apoiar-se sobre a grande lei natural da solidariedade;
      4 – É necessário, sobretudo no ensino da primeira infância, que os programas e os métodos estejam adaptados o mais possível à psicologia da criança, o que quase não acontece em parte alguma, nem no ensino público nem no privado.


domingo, 9 de janeiro de 2011

A Oportunidade

      «Nada é tão poderoso no Mundo como uma ideia cuja oportunidade chegou.»

      Victor Hugo (1802-1885)
      Escritor e poeta francês.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Encontro Latino Americano

      Decorrem até ao próximo dia 10 as inscrições no IX (9º) ELAOPA (Encontro Latino Americano de Organizações Populares), a realizar nos dias 22, 23 e 24, em São Paulo (Brasil).

      Este encontro surgiu pela primeira vez em 2003, como um espaço alternativo ao Fórum Social Mundial (FSM), não participando partidos políticos, ONG, nem representantes de governos; entidades estas, que diferem da realidade e das intenções das organizações populares.
      O ELAOPA pretende juntar, encontrar e articular a luta de organizações populares da América Latina, colocando-as como atoras a partir das suas necessidades, realidades, e anseios.
      O ELAOPA pretende ser um encontro catalisador da luta popular, com real independência de classe e, com objetivo de maior integração dos movimentos sociais nos diversos lugares da América Latina.
      Os anteriores encontros foram realizados no Brasil (2003), Bolívia (2004), Argentina (2005), Uruguai (2006), Chile (2007), Brasil (2008), Argentina (2009) e Uruguai (2010), participando organizações das mais diversas atividades: agrupações sindicais e sindicatos, coletivos culturais, grupos de teatro, movimentos de desempregados, movimentos de luta pela terra, coletivos feministas, centros sociais, ateneus, organizações camponesas, ecologistas, coletivos em defesa dos direitos humanos, entidades estudantis, etc.
      Um dos principais eixos que sempre tem movido os encontros tem sido a construção do poder popular, por uma perspectiva autónoma e de base, ou seja, desde baixo, capaz de resistir à opressão capitalista e criar alternativas de luta conjuntas, a partir da solidariedade entre os companheiros agredidos.
      A coordenação e articulação dos movimentos sociais são necessárias para que seja possível fortalecer a construção do poder popular a partir da participação de todos e desenvolver reflexões e análises coletivas que possam fornecer instrumentos e sugerir caminhos para a luta anticapitalista.
      A inscrição tem o valor de uma contribuição de 25 reais para suporte de alimentação e infraestrutura do lugar.
      O local do encontro será no Centro de Formação Campo Cidade do MST/Regional SP na cidade de Jarinú, Grande São Paulo.
      Inscrições e dúvidas pelo email: ixelaopa@riseup.net
      Mais info em: http://www.elaopa.org  


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Iniciativas Casa Viva

      Mais uma iniciativa Casa Viva, já amanhã, dia 8, a partir das 17 horas, decorrerá uma sessão de jogos. A entrada é livre e haverá jogos diversos; de estratégia, rapidez, observação, de cartas, tabuleiros e desde os clássicos aos mais originais.

      No mesmo dia mas a partir das 19 horas, haverá concertos benefit com “TrashBaile” www.myspace.com/trashbaile “Estado de Sítio” www.myspace.com/estadodesitiopunx “Protest Underground Noise Kaos” www.myspace.com/ultragrind “Helliminator” www.myspace.com/helliminator.
      A Casa Viva está na Praça Marquês de Pombal, no nº. 197, no Porto (Portugal).
      Mais info em: http://casa-viva.blogspot.com e http://radiocasaviva.blogspot.com e sempre com ligações permanentes na coluna dos “Sítios a Visitar”.




quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Cinema na Casa Viva

      Amanhã, dia 7, a partir das 22 horas, haverá cinema na Casa Viva, inserido no tema deste mês: “Okupa”, com quatro abordagens diferentes mas com um único objetivo: o de provocar a discussão sobre as diferentes formas de okupas.

      Entrada livre. Amanhã serão exibidos os dois primeiros documentários.
      1- “69”, de Nilolaj Viborg (60'), Dinamarca, 2008 (Dinamarquês, com legendas em Inglês). “Um grupo de jovens, que não se sentia cultural nem politicamente parte da sociedade, okupa legalmente, em 1982, a chamada Casa das Jovens (Youth House), em Jagtvej 69, nos subúrbios de Copenhaga. O documentário mostra a situação da casa em 2007, nos seus últimos seis meses de funcionamento. Pelo filme, descobrimos mais sobre os princípios do grupo e as razões da sua ação.”
      2- “Nécessaire(s) territoire(s)” de Benoît Perraud e Creadoc Angouleme (21’), França, 2006 (Francês, com legendas em Inglês). “Um documentário que, usando imagens de diferentes lugares em França, tenta descobrir o que é a alternativa e a utopia em movimento de okupas.
      A Casa Viva está na Praça Marquês de Pombal, no nº. 197, no Porto (Portugal).
      Mais info em: http://casa-viva.blogspot.com e http://radiocasaviva.blogspot.com e sempre com ligações permanentes na coluna dos “Sítios a Visitar”.


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Células de Fogo

      Foi hoje reivindicada a responsabilidade por vários ataques a embaixadas estrangeiras ocorridas no ano passado, bem como a última explosão junto à fachada do tribunal de Atenas, no dia 30 de dezembro, pelo grupo “Conspiração Células de Fogo” que se identifica como sendo anarquista e se mostra solidário com os 12 jovens que vão a julgamento no próximo dia 17 de Janeiro, por alegadamente serem membros de um grupo terrorista e autores de ataques à bomba.

      Por fim, na mesma mensagem, o grupo ameaçou também o coletivo de juízes com novos ataques à bomba.
      Já em novembro passado o mesmo grupo reivindicou o envio de encomendas explosivas a várias embaixadas.
      A ação junto do tribunal de Atenas ocorreu de manhã, à hora de ponta, sendo precedida de um aviso telefónico que deu tempo à evacuação dos edifícios em torno do veículo armadilhado (uma motorizada). Não houve feridos, sendo atingidos dois edifícios que servem de tribunais administrativos, com importantes estragos e uma dezena de carros destruídos.
      Em simultâneo, na mesma manhã, em Buenos Aires (Argentina), um engenho explosivo de pequena dimensão (alguns relatos mencionavam um cocktail molotov) fez alguns estragos em frente à embaixada da Grécia, também sem fazer vítimas.
      Na comunicação de novembro, a Conspiração das Células de Fogo divulgou uma carta onde consta o seguinte: “A nossa voz deve transformar-se em vento e ir ao encontro da rebelião, de Buenos Aires até Atenas e Salónica, do Chile e do México, até França e Bélgica."
      As cartas armadilhadas que explodiram em Roma foram reivindicadas pela “Célula Revolucionária Lambros Fountas” da “Federação Anarquista Informal”, sendo o nome da célula (Lambros Fountas) o nome de um membro grego da Luta Revolucionária, morto em Março durante um confronto com a polícia.
      O grupo Conspiração das Células de Fogo começou a ser conhecido a partir de 2008, com vários atentados incendiários contra agências bancárias.
      Até agora nenhum dos ataques da organização fez vítimas.


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Camus

      Foi num dia assim, como o de hoje, corria o ano de 1960 (há 51 anos) que morria, aos 46 anos, num acidente de viação, Albert Camus (1913-1960).

      Nascera na Argélia, filho de um francês e de uma descendente espanhola.
      Foi-lhe concedido o Prémio Nobel de Literatura em 1957.
      É apontado como um dos mais importantes mentores da escola do Absurdismo ou da Filosofia do Absurdo (relacionada com o Existencialismo) na qual, em síntese, se estabelece que os esforços realizados pelos seres humanos para encontrar o significado do Universo fracassarão por não existir tal significado.
      Aderiu em jovem ao Partido Comunista, tendo sido expulso passados 2 anos, por desentendimentos relativamente à questão da independência da Argélia da França, começando a sua aproximação aos movimentos libertários, tendo passado a escrever em diversas publicações anarquistas e, por fim, tendo criado a sua própria revista anarquista, em 1959 (após o Prémio Nobel e 1 ano antes do acidente que lhe causaria a morte), chamada: “Liberté”.
      Disse: «L’histoire d’aujord’hui nous force à dire que la révolte est l’une des dimensions essentielles de l’homme» (“A história dos nossos dias obriga-nos a considerar que a revolta é uma das dimensões essenciais do Homem”).


segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O Espetro da Anarquia

      Decorrerá no próximo Sábado (dia 8 pelas 15 horas) uma mesa redonda subordinada ao tema “O Espetro da Anarquia”, na Casa da Achada, sita na Rua da Achada, nºs 11 r/c e 11B (na Mouraria), em Lisboa.

      A organização está a cargo da “Unipop” e contará com a participação de António Cunha, membro do colectivo Casa Viva; António Pedro Dores, sociólogo e prof. no ISCTE, José Carvalho Ferreira, economista e prof. no ISEG, José Neves, historiador e prof. na FCSH, Miguel Madeira, economista, Miguel Serras Pereira, tradutor, e Ricardo Noronha, doutorando em História .
      “O recurso a etiquetas ideológicas é uma prática recorrente, quer por parte de correntes de pensamento e movimentos sociais e políticos quer por parte dos poderes instituídos. Se para os primeiros uma lógica de fixação identitária parece impô-lo, para o segundo trata-se de uma técnica de definição de um inimigo, interno ou externo, identificável, de um processo de naturalização do recurso à violência autorizada.
      «Comunismo», «terrorismo», «antiglobalização», «anarquismo» têm sido algumas dessas etiquetas. Mais recentemente, o «anarquismo» – ou mais sofisticadamente as «ideias anarquistas» – instalou-se no espaço mediático a propósito de um conjunto de movimentações sociais contra os poderes instituídos.
      Detenções, condenações judiciais, cordões policiais em manifestações, a coberto da defesa da democracia contra as «ideias anarquistas», têm, na verdade, sustentado a criminalização de todas as lutas que procuram situar-se para lá da intervenção política e social institucionalizada.
      Partindo do reconhecimento de que por detrás da designação «anarquismo» se esconde uma enorme pluralidade teórica e prática, a UNIPOP propõe uma discussão acerca do percurso histórico das «ideias anarquistas» em Portugal, bem como uma abordagem cruzada de algumas das tradições teóricas que se colocam sob essa etiqueta."
      Mais info na ligação permanente da coluna dos “Sítios a Visitar”, com a designação de “Unipop”, ou já aqui em: http://u-ni-pop.blogspot.com/

domingo, 2 de janeiro de 2011

A Nossa Pátria e a Nossa Lei

      «Nossa Pátria é o mundo inteiro, nossa Lei é a Liberdade.»

      Pietro Gori
      in Canção Stornelli d'esilio (1895)