terça-feira, 30 de novembro de 2010

Cães de Guarda

      A foto abaixo foi copiada do blogue cuja ligação permanente está na coluna dos “Sítios a Visitar” com o nome de “Anovis Anophelis” e da seguinte forma a legendou o companheiro Francisco Trindade: “É assim que os cães de guarda da banca tratam os cidadãos!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Relato da Reunião da F.A.P.

      Decorreu este sábado 27 a primeira reunião da Federação Anarquista Portuguesa, em Coimbra, conforme já se anunciou e, dessa reunião, a primeira, reproduz-se a seguir as impressões do companheiro Antero Fajardo, publicadas no "Facebook" em: http://www.facebook.com/home.php?sk=group_161397563897666&id=164075023629920
      «Sinto-me imensamente feliz. Passei um dia maravilhoso junto de companheiros maravilhosos. Mesmo com o frio. Foi como se um pequeno sol brilhasse para nós sobre aquela mesa comprida que partilhámos. Conversámos muito, naturalmente. Falámos de muita coisa, trocámos ideias e eu senti-me entre irmãos. É claro que não podíamos tomar decisões vinculativas de monta porque éramos poucos. Mas acordámos princípios que estavam já lançados a debate nesta página e mantivemos a condição sine qua non de horizontalidade e o sentido decisório da periferia para o centro.
      Foi decidido incluir a opção de colaboração individual para permitir a quem não pertence a coletivos e está demasiado longe de outros companheiros poder ser parte deste grande labor político que é a construção da mudança.
      A F.A.P. irá agora procurar reunir noutros locais com camaradas que desta vez não puderam ir e, simultaneamente, fará a sua apresentação aos coletivos e associações locais para que o movimento anarquista possa reforçar-se pela interação nacional, aproveitando os meios que esta federação pode pôr ao serviço de ações concertadas, reuniões e debates nacionais, etc. Sendo que a F.A.P. manterá sempre o seu caráter imaterial, na medida em que ninguém será representante privilegiado da F.A.P., não haverá órgãos permanentes nem hierarquia.
      A F.A.P. deverá igualmente coibir-se de tomar posição quanto a questões partidárias. Estamos conscientes de que há companheiros que sentiram necessidade de participar em ações partidárias por se acharem desamparados politicamente. Essa é uma opção individual. A F.A.P. não se imiscui no partidarismo/parlamentarismo mas também não coarta a liberdade de cada um para dispor da sua capacidade de discernimento político. Não pode é misturar uma coisa com a outra nem usar a F.A.P. para fins não acordados por todo o coletivo.
      Em todo o caso, uma federação forte permitirá a emancipação total da partidocracia porque terá expressão, representatividade e visibilidade. Entendemos na F.A.P. outra vertente que é a de facilitadora, isto é, estabelecendo uma rede de contactos e apoio mútuo criaremos as condições para que os coletivos e as pessoas individualmente possam convergir em momentos e ações determinantes, disponibilizando apoio em rede, facultando carros, alojamento, refeições, apoio logístico oferecidos pela comunidade anarquista espalhada pelo país.
      Tal como hoje tive o prazer e a felicidade de oferecer boleia a dois companheiros ou o Rui de oferecer pernoita a outros companheiros para se poderem juntar à manifestação anti-NATO do passado dia 20. Esse é o espírito e o modus operandi que deve ser potenciado para dar sentido à coordenação de esforços e vontades. É óbvio que tudo isto está sujeito a análise e aprofundamento à medida que for havendo mais encontros e houver maior diálogo inter-associações.
      Ficou patente que o diálogo presencial é bastante mais fecundo e unificador que a interacção virtual. O espírito com que decorreu a nossa reunião demonstrou a validade deste projeto porque provou a força do fator humano na equação anarquista.
      Só com mais reuniões e debates conseguiremos consolidar a rede solidária para agir sobre a sociedade e fazê-lo coerente e eficazmente. Julgo que o coletivo aqui presente e em crescimento tenderá a responder com entusiasmo ao espraiar da federação nos momentos subsequentes, contribuindo com ideias, trabalho e alegria para a batalha que temos pela frente.
      A F.A.P será cada um dos companheiros que se identifiquem com ela. E cada encontro terá o seu pequeno sol pairando sobre corações voluntariosos e altruístas.»

domingo, 28 de novembro de 2010

Utopia

      «Muitas vezes a utopia de um século torna-se a ideia vulgar do século seguinte.»

      Carlo Dossi
      Escritor italiano (1849-1910)


sábado, 27 de novembro de 2010

Nação Mapuche

      Povos indígenas de diversas etnias do Chile estão reunidos desde o passado dia 25 e até ao dia 28 de novembro, na colina Ñielol de Temuco, na região de Araucanía, província de Cautín, na Grande Reunião da Nação Mapuche.

      De acordo com a convocatória das autoridades Mapuche de Meli Witrán Mapu, o encontro tem o objetivo de debater sobre questões referentes à reconstrução da nação mapuche no país. Para isso, as discussões passarão por temas relacionados ao legado ancestral dos mapuche, à continuidade histórica nos territórios e ao respeito à natureza.
      A convocatória da reunião diz: «Sabemos que os estados que se formaram nos nossos territórios, há aproximadamente 200 anos – produto da invasão europeia – querem continuar desenvolvendo o seu pensamento e querem fazer-nos cúmplices disso através dos seus programas, projetos e planos que querem continuar depredando o que, através de milhares de anos, as nossas famílias mapuche cuidaram, diminuindo-nos como nação e empobrecendo os nossos anseios de liberdade junto ao território ancestral deixado por nossas antigas autoridades mapuche»
      E dizem ainda que «Queremos vos dizer que os sonhos da gente vão caminhando para um futuro melhor para todas as formas da vida, ainda que saibamos que não será fácil».


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Primeira Reunião da F. A. P.

      É já amanhã, sábado 27 de novembro, que se reunirá, pela primeira vez, a Federação Anarquista Portuguesa.

      O encontro ocorrerá em Coimbra e está marcado para as 13H00 na Praça da República, junto ao Jardim da Sereia, local onde se concentrarão todos os participantes para depois seguir para local a designar no momento, dependendo do número de participantes.
      Todos os anarquistas/libertários estão convidados a participar naquele que promete ser um momento definidor e, quem sabe, histórico, para o movimento ácrata em Portugal.
      Neste encontro pretende-se estabelecer um mecanismo de coordenação nacional, sem hierarquias ou corpos permanentes, para potenciar o trabalho dos coletivos e associações dispersos pelo país.
      Constata-se que o anarquismo enferma de alguma dispersão que o enfraquece e diminui consideravelmente a capacidade de intervenção na sociedade portuguesa. É nesse âmbito que anarquistas de todo o país, do Algarve ao Minho, se preparam para reunir e discutir as premissas em que funcionará a F.A.P. e como se coordenará com os movimentos locais e regionais.
      O princípio unanimemente acordado à partida é de que todas as decisões e ações da Federação serão tomadas da periferia para o centro e nunca ao contrário, com exceção dos pormenores de funcionamento, como marcação de encontros, troca de informação entre núcleos, supervisionamento de ações e iniciativas decididas pelos grupos locais. O resto está aberto a debate e encoraja-se a elaboração de documentação de apoio a eventuais intervenções na reunião que decorrerá em ambiente informal, condição essencial para a livre afluência de todos os interessados.
      A ilustração deste artigo, que abaixo consta, reproduz a imagem de um panfleto datado de 1933 da então existente “Federação Regional Portuguesa das Juventudes Anarco-sindicalistas”.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Estudantes Europeus na Rua

      Ontem, no Reino Unido, os estudantes voltaram à rua protestando contra os planos do governo britânico em triplicar as mensalidades universitárias.

      Durante as manifestações foi enforcada uma efígie do vice-primeiro-ministro Nick Clegg.
      As manifestações ocorreram por todo o país, sendo no entanto mais fortes em Londres, tal como há cerca de duas semanas quando invadiram a sede do Partido Conservador, agora pretendeu-se a invasão do Partido Liberal Democrata que integra a coligação governamental que, ao contrário do que anunciara durante a campanha eleitoral, votou agora favoravelmente a subida das propinas.
      Desta vez, a polícia fez um controlo apertado das manifestações, acompanhando-as por todas as ruas da cidade de Londres, ainda assim, houve transmissões em direto na televisão que mostravam a raiva dos manifestantes, destruindo à bastonada o pára-brisas de um camião da polícia.
      Por sua vez, em Itália, centenas de estudantes e professores universitários manifestaram-se ontem e hoje contra a reforma educativa imposta pelo governo daquele país.
      O protesto ocorreu em várias cidades do país e foi fortemente policiado, especialmente impedindo qualquer tentativa de aproximação à sede do governo liderado por Silvio Berlusconi.
      A polícia fez detenções de estudantes, enquanto dezenas de universidades, pontes e praças foram tomadas de assalto pelos manifestantes. O Senado italiano escapou à fúria da multidão porque as portas foram encerradas.



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Blogue em Greve

      Como forma de solidariedade com a Greve Geral que hoje ocorre em Portugal, este blogue está hoje também em greve.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A Luta e a Vitória

     Não vos aconselho o trabalho, mas a luta. Não vos aconselho a paz, mas a vitória! Seja o vosso trabalho uma luta! Seja vossa paz uma vitória!"

      Friedrich Nietzsche, (1844-1900)
      in “Assim Falou Zaratustra”


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

13 Perguntas Frequentes sobre Greve

      Está marcada para o próximo dia 24 de novembro (quarta-feira) uma Greve Geral em Portugal, pelo que, de forma a esclarecer eventuais dúvidas dos trabalhadores portugueses, a seguir se respondem às 13 perguntas mais frequentes sobre esta greve.
1 – Quem pode aderir à Greve Geral?
      Todos os trabalhadores, sindicalizados ou não, membros ou não dos sindicatos que declaram greve, podem aderir à greve geral. O pré-aviso de Greve Geral abrange todos os trabalhadores do país.
2 – E os que trabalham no Setor Privado, também podem fazer Greve?
      Todos os trabalhadores, independentemente da relação de emprego que tenham (Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas, CAP, Contrato a Termo, Contrato Sem Termo/Tempo Indeterminado), seja numa instituição pública ou numa empresa privada, podem aderir à Greve Geral.
3 – Os não sindicalizados também podem fazer?
      Podem e devem! O direito à greve é um direito de todos os trabalhadores, sindicalizados ou não. Os trabalhadores não sindicalizados estão legalmente protegidos para fazer greve, com a única diferença de não estarem integrados numa organização sindical.
4 – O trabalhador com um contrato a termo (vínculo precário), também pode fazer greve? Podem cessar-lhe o contrato?
      Pode fazer greve e, legalmente, o contrato não pode ser cessado em virtude disso. “É nulo e de nenhum efeito todo o acto que implique coação, prejuízo ou discriminação sobre qualquer trabalhador por motivo de adesão ou não à greve” (artº. 404º/RCTFP).
5 – A pressão para não se aderir à Greve é legal?
      Nos termos do artº 404º/RCTFP, tal não é permitido. Mais, quem exerce a pressão/coação é susceptível de ser punido: constitui contra-ordenação muito grave o ato do empregador que implique coação do trabalhador no sentido de não aderir a greve, ou que o prejudique ou discrimine por aderir (artº. 540.º/CT).
6 – Antes da greve, está o trabalhador obrigado a informar se adere ou não? 
      Em termos legais, nenhum trabalhador está obrigado a informar previamente a sua decisão de aderir ou não à Greve.
7 – Está o trabalhador legalmente obrigado a comparecer no seu serviço? 
      Nos serviços sem obrigatoriedade de prestação de serviços/cuidados mínimos, nos termos do pré-aviso, o trabalhador não está legalmente obrigado a comparecer. Nos serviços onde têm que ser garantidos serviços/cuidados mínimos deve comparecer para os prestar (se for o caso) ou integrar o piquete de greve.
8 – O que é o Pré-Aviso de Greve? 
      Nos termos da Constituição e da Lei (artº. 396º/RCTFP) os sindicatos são obrigados a emitir Pré-Aviso de Greve, publicitado num órgão de comunicação social de expansão nacional. Este Pré-Aviso visa no essencial duas coisas: que as partes em conflito tentem ainda acordar soluções antes de efectivar a Greve; que os Serviços alvo da Greve se reorganizem (com as limitações decorrentes da Lei) para minimizar o impacto junto dos seus destinatários.
9 – O que faz e quem constitui o Piquete de Greve? 
      Piquete de Greve é constituído por todos os grevistas. O Piquete é constituído pelos grevistas que permanecem nos serviços a assegurar cuidados mínimos, pelos grevistas sediados na sala do piquete e pelos grevistas ausentes da entidade. 
      O piquete visa, para além do levantamento rigoroso dos dados (escalados/aderentes), informar e esclarecer os grevistas sobre os motivos da greve e mesmo os não grevistas no sentido de aderirem à greve. Intervém junto das administrações para resolver problemas e presta informação e esclarecimento aos utentes através de ações planeadas para esse efeito.
10 – Enquanto grevista, qual a subordinação hierárquica? 
        Os grevistas estão desvinculados dos deveres de subordinação e assiduidade durante o período de Greve. A representação dos trabalhadores em greve é delegada, aos diversos níveis, nas associações sindicais, nas comissões sindicais e intersindicais, nos delegados sindicais e nos piquetes de greve. 
        “A greve suspende, no que respeita aos trabalhadores que a ela aderirem, as relações emergentes do contrato, […] em consequência, desvincula-os dos deveres de subordinação e assiduidade” (artº. 398º/RCTFP) e os trabalhadores em greve são representados pelo Sindicato (artº. 394º/RCTFP).
11 – A Administração pode substituir os grevistas? 
        Não pode! “A entidade empregadora pública não pode, durante a greve, substituir os grevistas por pessoas que à data do aviso prévio não trabalhavam no respectivo órgão ou serviço, nem pode, desde aquela data, admitir novos trabalhadores para aquele efeito.” “A concreta tarefa desempenhada pelo trabalhador em greve não pode, durante esse período, ser realizada por empresa especialmente contratada para o efeito…” (artº. 397º/RCTFP).
12 – Durante a Greve a Administração pode colher dados pessoais dos aderentes? 
        Não pode! A Comissão Nacional de Proteção de Dados deliberou proibir, ao abrigo da alínea b) do nº. 3 do artº. 22º da Lei 67/98, qualquer tratamento autónomo de dados – recolha de tipo de vínculo/nome/n.º mecanográfico/outros dados similares – relativos aos aderentes à greve por constituir violação do disposto no art.º 13º e n.º 3 do 35º da CRP e nos n.ºs 1 e 2 do art.º 7º da Lei de Protecção de Dados Pessoais (Deliberação n.º 225/2007 de 28 de Maio).
13 – Trabalhadores em Greve “rendem” trabalhadores não aderentes? 
        Trabalhadores grevistas não rendem trabalhadores não grevistas. Os grevistas não têm o dever legal de render os não aderentes à greve.

domingo, 21 de novembro de 2010

Loucos e Cegos

      «É o mal destes tempos: os loucos guiam os cegos.»

      in “O Rei Lear” por William Shakespeare (1564-1616)
      Poeta e dramaturgo inglês considerado como o maior escritor da língua inglesa.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Morreu Um Filho da Puta

      No passado dia 8 de novembro o planeta ficou mais limpo graças à morte de um grande filho da puta que do cimo do monte de merda dos seus 86 anos de vida, finalmente tombou, mas tardiamente, porque ninguém soube dar-lhe um bom tiro nos cornos.

      Este grande filho da puta chamava-se Emílio Eduardo Massera, nascido na Argentina e aí conhecido como o Almirante Negro, entre outros epítetos, graças à sua sangrenta obra durante a mais sangrenta ditadura argentina (1976-1983).
      Durante a ditadura, o filho da puta foi responsável pelo “desaparecimento” de 30 mil indivíduos e ainda por sequestros, torturas, roubo de bebés e os célebres voos da morte.
      No campo de extermínio que o filho da puta montou na Escola de Mecânica da Armada Argentina, aplicavam-se choques elétricos nos órgãos genitais, mamilos, ouvidos e gengivas, também se serravam braços, pernas e dedos. Os que não morriam eram então levados, durante a noite para aviões “Hércules” onde eram sedados, despidos e lançados ao mar e ao rio da Prata.
      O filho da puta nunca confessou tais práticas, apenas admitiu que na sua ação não poderia fazer o mesmo que fazia Franco ou Pinochet (ditadores de Espanha e Chile), com os fuzilamentos dos opositores, porque isso afastaria o Vaticano e os investidores estrangeiros.
      Em 1985, com a argentina em democracia, o filho da puta foi julgado e condenado a prisão perpétua por crimes contra a humanidade. Cinco anos depois, em 1990, o presidente Carlos Menem amnistiou-o!!! e saiu em liberdade. Voltaria no entanto a ser julgado por mais crimes, como o roubo de bebés a mulheres grávidas para as dar ou vender a famílias com ligações ao regime, mas, após um derrame cerebral em 2002, acaba por ser considerado demente e inimputável.
      Comentando a morte do filho da puta, o historiador argentino Osvaldo Bayer disse, em profecia, o seguinte: “Sobre a sua campa cairá o cuspo de um público ultrajado, como se fosse chuva intermitente.”


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Salvar Planeta só sem Capitalismo

      Realizar-se-á amanhã (19 de novembro), pelas 17:30 horas no Auditório 3.1 da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (Portugal) uma conferência com o escritor e jornalista Hervé Kempf, segundo o qual, para salvar o planeta devemos descartar-nos do capitalismo e reconstruir uma sociedade onde a economia não seja rainha, mas uma ferramenta, onde prevaleça a cooperação sobre a concorrência e onde o bem comum seja mais importante do que o lucro, considerando ainda que o futuro não reside na tecnologia, mas num novo arranjo das relações sociais.

      A convicção e a celeridade com que exigirmos maior solidariedade humana é o que vai fazer a diferença. É esta a mensagem veiculada pelo conferencista deste acontecimento que tem o mesmo nome do seu último livro (2009): «Para Salvar o Planeta Livrem-se do Capitalismo».
      Na referida obra, o autor explica como o capitalismo se transformou ao longo dos anos de 1980 ao conseguir impor o seu modelo comportamental individualista, marginalizando as lógicas coletivas. Ora, para sair daí, torna-se forçoso desmontar o condicionamento psíquico em que aquele modelo assenta. A oligarquia no poder procura desviar a atenção do público para o desastre iminente fazendo crer que a tecnologia tudo pode fazer, inclusive evitá-lo. Esta ilusão mais não pretende que perpetuar o atual sistema de dominação.
      Como ilustram as reportagens demonstrativas realizadas pelo autor do livro, o futuro não está na tecnologia, mas antes em novas práticas no relacionamento social entre indivíduos e grupos.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Faísca "On Line"

      Os materiais libertários disponibilizados pela Cooperativa e Editora Faísca estão agora acessíveis também na loja virtual que podes aceder na coluna dos “Sítios a Visitar” com a designação de “Editora Faísca” (https://faisca.lojapronta.net), adquirindo desta forma os livros e, em breve, também as camisolas, “pins” e autocolantes libertários.

      A Cooperativa Faísca é formada por militantes de movimentos sociais e organiza-se de forma horizontal.
      O “slogan” da Editora é: “Não vendemos apenas livros, distribuímos ideias!”


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Marcha em Kiev

      Em 24 de outubro passado, foi realizada uma marcha em Kiev "contra o capitalismo". O motivo da marcha foi a comemoração do aniversário de Nestor Makhno (26 de outubro de 1888 – 6 de julho de 1934).

      No mesmo dia em Zaporzhe reuniram-se grupos anarquistas, autónomos e organizações anti-fascistas, como "Kosak-City161", "Ação Antifascista Mob46" e RKAS.
      Entre os participantes haviam companheiros de diferentes cidades da Ucrânia: Cherkasy, Simferopol, Kharkov, Energodar, Lugansk, Kramatorsk, Sebastopol, Leva, Dnepropetrovsk e outras.
      Esvoaçavam bandeiras e faixas anarquistas e anti-fascistas, bem como tochas com chamas acesas, enquanto gritavam frases como: "Liberdade! Igualdade! Anarco-comunismo!", "Revolução, Anarquia", "Nestor Makhno!", "Deputados mineiros, a burguesia nas minas!", "O principal inimigo do Estado", "Liberdade de trabalho", "Não ao fascismo", "Abaixo os fascistas", "Abaixo o fascismo, abaixo o capitalismo!".
      Foram ainda distribuídos folhetos explicativos e uma nova edição do jornal "Anarchy", da RKAS.
      Mais info e fotos em: http://antifa.zp.ua/novini/103-marsh-proti-kaptalzmu-pamyat-nestora-mahno.html

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Precários nos querem, Rebeldes nos terão

      Na passada quarta-feira um pequeno grupo dos “Precários Inflexíveis” realizou uma ação de apelo à Greve Geral do próximo dia 24 no interior de um dos “call center” de uma das principais instituições bancárias do país.

      Foi uma ação breve, mas que permitiu um contato com os trabalhadores.
      Durante a ação foi aberta uma faixa no local de trabalho, onde se podia ler “Não pisem mais o precário, Greve Geral dia 24 de Novembro!”.
      Com esta ação, os Precários Inflexíveis continuam um percurso de mobilização para a Greve Geral, fazendo-o junto de quem trabalha sobre as piores condições.
      Os trabalhadores dos “call centers” estão entre os mais explorados e mais chantageados. São policiados no seu local de trabalho, forçados a ritmos de trabalho desumanos, pressionados permanentemente, sem quaisquer condições ou direitos, com elevada rotatividade e salários muito baixos. O trabalho nos “call centers” é um exemplo flagrante de um modelo que se tenta impor e ameaça o conjunto da classe trabalhadora.
      Com este contato no próprio local de trabalho, pretendeu-se furar o muro de silêncio que deixa os direitos mais básicos à porta dos “call centers”, contribuindo para denunciar a sobre-exploração de milhares de pessoas que, quase sempre sujeitas aos negócios da subcontratação ou a contratos de trabalho muito curtos, sentem a ameaça permanente de perderem a sua ténue fonte de rendimentos.
      A exploração aqui é também sinónimo de coação, que reprime a organização destes trabalhadores, que põe todos os dias em causa os seus direitos, nomeadamente o direito à greve.
      Mais info na ligação permanente aos “Precários Inflexíveis” na coluna dos “Sítios a Visitar”, isto é, em: http://www.precariosinflexiveis.org/  

domingo, 14 de novembro de 2010

Sei que não vou por aí!

      «Ah, que ninguém me dê piedosas intenções! Ninguém me peça definições! Ninguém me diga: «vem por aqui!».

      A minha vida é um vendaval que se soltou. É uma onda que se levantou. É um átomo a mais que se animou... Não sei por onde vou, Não sei para onde vou; Sei que não vou por aí!»
      José Régio (1901-1969)
      Escritor português e pseudónimo de José Maria dos Reis Pereira.
      Durante a sua vida teve sempre participação activa na vida pública, mantendo-se fiel aos seus ideais socialistas, apesar do risco que corria devido ao regime autoritário; ditatorial, de então.
      Como escritor, José Régio, dedicou-se ao ensaio, à poesia, ao texto dramático e à prosa. A sua obra reflecte problemas relativos ao conflito entre Deus e o Homem e o indivíduo e a sociedade. Sempre usou um tom psicologista e misticista, analisando a problemática da solidão e das relações humanas, ao mesmo tempo que levava a cabo uma auto-análise.

sábado, 13 de novembro de 2010

Primeira Feira do Livro em Copenhaga

      Decorre este fim de semana (13 e 14 de novembro) a "Primeira Feira do Livro e Seminário", na Ungdomshudet, Dortheavej 61, em Copenhaga.

      O tema do Seminário é "O Anarquismo na Prática" e haverá apresentações e debates com ativistas envolvidos em lutas comunitárias, organização laboral, educação e ativismo ambiental.
      A maioria dos debates serão em dinamarquês, mas será feita tradução do dinamarquês para o inglês.
      A Feira do Livro ocorre no salão principal, com bancas de livros à venda, panfletos e outras coisas.
      A organização afirma que haverá boa e barata comida vegana, que será servida durante o Seminário.
      Mais info em: http://aip2010.blogspot.com/

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Espionagem de Jornalistas

      O editor do jornal francês “Le Canard Enchaîne” (jornal satírico dos mais antigos em França, conhecido pela prática de um jornalismo de investigação centrado nas áreas da política, economia e dos negócios) acusa Nicolas Sarkozy de usar uma equipa concreta dos serviços secretos franceses para investigar repórteres, ao mesmo tempo que lhes furta as informações.

      Esta acusação-informação vem na sequência de diversos furtos ocorridos nas últimas semanas nas casas e nos escritórios de diversos jornalistas de investigação, desaparecendo computadores, cassetes e até um sistema de GPS.
      O Palácio do Eliseu classifica tal acusação como «completamente ridícula».
      No artigo do jornal pode ler-se que tal intervenção do Sarkosy tem vindo a ocorrer, com maior intensidade, desde o início deste ano, com intervenção direta junto do director dos serviços secretos, Bernard Squarcini, que é um leal apoiante de Sarkozy e dirige a “Division Centrale du Renseignement Intérieur (DCRI)”, a agência de serviços secretos francesa equivalente ao SIS ou ao MI5, que terá criado um departamento específico para dirigir as investigações dos jornalistas.
      O artigo publicado está assinado pelo editor do jornal, Claude Angeli, que também disse a uma rádio francesa que a informação presente no artigo foi fornecida por uma fonte interna dos serviços secretos, garantindo que não «teria escrito uma manchete tão forte a menos que as fontes fossem sólidas e credíveis». A manchete do jornal era: “Sarko supervisiona espionagem de jornalistas”.
      O jornal afirma que sempre que o presidente tem conhecimento de um artigo de investigação que possa causar «embaraço a si ou aos seus amigos», ordena a «vigilância do jornalista».
      Não é a primeira vez que Sarkozy enfrenta este tipo de acusações. Já em Setembro o “Le Monde” havia avançado que Sarkozy utilizava a agência nacional de serviços secretos para prejudicar e controlar a imprensa.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Manif Ontem em Londres

      Aconteceu ontem, no centro de Londres, uma grande manifestação de 20 a 50 mil estudantes (20 mil segundo a polícia e 50 mil segundo as organizações estudantis) que cercou e tomou mesmo, durante cerca de cinco horas, a sede do Partido Conservador britânico, sendo assaltada e parcialmente destruída pelos manifestantes.

      A desilusão dos estudantes esteve na origem do protesto, cuja faísca que despoletou a manifestação foi a decisão governamental de aumentar as propinas até aos dez mil euros anuais, medida anunciada no âmbito das medidas de austeridade tomadas pelo governo britânico, prevendo-se ainda diversos outros cortes nas áreas de investigação e subsídios.
      O edifício de escritórios onde se situa a sede dos conservadores ficou bloqueado, começando os manifestantes por atirar pedras contra a fachada, assustados, os ocupantes do edifício, foram retirados sob a protecção da polícia, enquanto os manifestantes gritavam "canalha tory” (designação tradicional dos conservadores).
      Na manifestação destacaram-se os manifestantes anarquistas, devidamente identificáveis, cujas ações se revelaram mais radicais, designadamente, retirando vários materiais dos andares da sede, que incendiaram no exterior.
      O ministro do trabalho britânico, Ian Duncan Smith, interrogou-se, afirmando publicamente se a ação dos estudantes não será o princípio de um grande movimento de protesto como aconteceu em França.
      Por seu lado, o primeiro-ministro David Cameron, que se encontrava na cimeira do G20 quando a sede do seu partido foi atacada pelos estudantes, disse, a partir de Seul, que “Pensamos que esta ideia de que os estudantes que vão para as universidades precisam também de dar um contributo para a sua educação é correcta. Penso que o que se fazia no passado, as pessoas irem para a universidade, como eu, de graça, não estava certa.”
      A Scotland Yard contabilizou catorze feridos, sendo metade polícias.
      O vídeo abaixo dá uma imagem geral dos acontecimentos.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A Crise em Portugal

      Se ligares a televisão, ouvires as rádios e leres os jornais, todos de comunicação para as massas, podes ficar em pânico com tanta crise, défice, FMI, perda de direitos dos trabalhadores, sacrifícios necessários dos trabalhadores, etc., etc. mas… é a crise, temos que ter paciência… é a crise…

      Mas se estiveres atento, poderás ter visto que nos últimos dias foram divulgados os resultados relativos aos primeiros 9 meses deste ano de algumas empresas portuguesas, resultados estes que, relativamente ao ano passado, nos primeiros 9 meses de 2010, apresentam lucros, repito: lucros, superiores em 10, 20% e até acima de 100%!
      Vejamos alguns:
      a) O banco “Millennium” apresenta um lucro de 217 milhões de euros, um aumento de 22%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      b) O banco “BPI” apresenta um lucro de 144 milhões de euros, um aumento de 10%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      c) O banco “BES” apresenta um lucro de 405 milhões de euros, um aumento de 12%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      d) A “Galp” apresenta um lucro de 266 milhões de euros, um aumento de 48%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      e) A “Portucel” apresenta um lucro de 154 milhões de euros, um aumento de 112%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      f) O grupo “Jerónimo Martins” apresenta um lucro de 193 milhões de euros, um aumento de 39%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      g) A “Brisa” apresenta um lucro de 401 milhões de euros, um aumento de 282%, nos primeiros 9 meses de 2010 em relação ao ano de 2009.
      É a crise: de facto alguns ganham e muito, com o claro prejuízo de muitos outros.
      É a crise?


terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Muro acabou por cair


      Num dia assim como o de hoje mas do ano de 1989 (há 21 anos), começou a ser derrubado o Muro de Berlim, pelos populares que espontaneamente invadiram e se apropriaram do muro, abrindo passagens para todos.
      O Muro foi construído não para dividir a cidade de Berlim, nem a Alemanha, apesar de realmente as dividir, mas o seu propósito foi antes o de dividir dois distintos conceitos do Mundo e da apreensão da realidade, dois diferentes sistemas políticos, económicos, sociais, militares, ideológicos… Dois diferentes mundos que ficaram por décadas em tensão permanente e com permanentes conflitos de toda a ordem mas sem um confronto direto de guerra declarada, situação que ficou conhecida como Guerra Fria, isto é, a tensão de guerra não declarada existente entre o capitalismo ocidental e o comunismo soviético oriental.
      O Muro dividia as duas Alemanhas: a República Federal da Alemanha (RFA) da República Democrática Alemã (RDA), desde 1961, com mais de 65 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas e com alarmes e 255 pistas de corrida para cães de guarda ferozes.
      Desconhecem-se os reais números das vítimas das inúmeras tentativas de fuga por atravessamento do muro, porque tais factos eram silenciados, mas sabe-se de 80 mortes identificadas mais de uma centena de feridos e milhares de prisioneiros.
      Este Muro acabou por cair. Ainda há muitos muros por aí para derrubar.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Guerra Infinita

      A seguir se reproduz, parcialmente, o primeiro Comunicado para a Imprensa do Movimento Internacional da Paz.

      Na próxima Cimeira da OTAN-NATO a decorrer em Lisboa, de 19 a 21 de novembro, será definida a nova estratégia da OTAN-NATO.
      Paralelamente, o movimento internacional da paz diz "Não à guerra; Não à NATO" ("No to War; No to NATO") (http://www.no-to-nato.org), através do seu Comité Coordenador Internacional, que colaborou na preparação dos protestos em Estrasburgo, integra membros de 11 Estados e representa uma rede com mais de 650 organizações, e apela aos protestos contra a OTAN-NATO em Lisboa.
      Na tradição de Estrasburgo, estão a ser preparadas as seguintes acções:
    - Uma Contra-Cimeira internacional (de 19 a 21 de novembro), com oradores de 15 países, os quais irão debater sobre formas de alcançar a paz mundial, o desarmamento e o fim da OTAN-NATO.
    - Uma manifestação internacional (20 de novembro), com pessoas de todo o mundo que irão encher as ruas numa manifestação não-violenta.
    - Desobediência Civil por grupos internacionais e portugueses: vários grupos de desobediência civil irão opor-se, de forma não-violenta, à Cimeira da OTAN-NATO.
    - Um ponto de encontro internacional: – "Praça da Paz" – no coração de Lisboa dará espaço aos ativistas e organizações para ações criativas e coloridas.
    - Um debate público entre deputados e ativistas da paz (20 de novembro) no centro de Lisboa.
    - A transmissão em direto, pela internet, de todos os eventos, dará às pessoas em casa a oportunidade de seguirem as diversas iniciativas e de participarem nas ações.
      Todas as ações serão não-violentas.
      OTAN é a designação portuguesa da Organização do Tratado do Atlântico Norte e NATO é a designação inglesa de North Atlantic Treaty Organization.
      Mais info na ligação “Plataforma PAGAN” na coluna dos “Sítios a Visitar” e no vídeo abaixo.


domingo, 7 de novembro de 2010

Sophia de Mello Breyner Andresen


  A Sophia fez ontem 91 anos.
  Um dia disse:

       Quando o meu corpo apodrecer e eu for morta
       Continuará o jardim, o céu e o mar,
       E como hoje igualmente hão-de bailar
       As quatro estações à minha porta.

       Outros em Abril passarão no pomar
       Em que eu tantas vezes passei,
       Haverá longos poentes sobre o mar,
       Outros amarão as coisas que eu amei.

       Será o mesmo brilho a mesma festa,
       Será o mesmo jardim à minha porta,
       E os cabelos doirados da floresta,
       Como se eu não estivesse morta.

  A Sophia Nasceu no Porto em 6-11-1919 e faleceu em Lisboa em 2-7-2004.

sábado, 6 de novembro de 2010

Eu Não Te Espero!

      «Eu nom te espero!» é a expressão que pode ser vista nas janelas e varandas de Santiago de Compostela (Galiza-Espanha) este fim de semana de visita papal, assim se manifestando a população galega contra a visita do líder fundamentalista religioso Ratzinger.

      Manifesto em: http://eunomteespero.blogspot.com/


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Festival de Teatro Anarquista

      O 6º Festival Internacional de Teatro Anarquista de Montreal (MIATF) (Canadá) está marcado para o início de maio de 2011, inserido num dos maiores eventos anarquistas do Mundo, o já tradicional “Festival da Anarquia”.
      Estes eventos, anuais, únicos na América do Norte e precedem o 12º Salão do Livro Anarquista de Montreal, no final do mês de maio.
      O Festival de Teatro, é único no mundo com dedicação à exibição do teatro anarquista e está, neste momento, a procurar peças para serem encenadas no Festival, aceitando inscrições até ao dia 20 de janeiro de 2011.
      O MIATF pretende peças e monólogos em inglês e francês, com uma duração de 5 a 30 minutos, tendo como tema central o anarquismo ou qualquer outro tema conexo ao anarquismo, por exemplo, a luta contra todas as formas de poder, incluindo o Estado, capitalismo, guerra, alienação, critica ao trabalho assalariado, etc.
      Também serão tidas em conta as peças que, desde uma perspectiva anarquista, explorem as questões ecológicas, de justiça social e económica, raça, classe e género.
      Por ser um acontecimento benemérito não será remunerado. Em contrapartida o Festival assegura a promoção do acontecimento, fornece uma sala adequada para cerca de 250 pessoas, suporta as despesas alimentícias de quem vier de fora da ciadade, e, tendo em conta a sua experiência, assegura uma audiência interessada. Todos os rendimentos que provenham da venda de bilhetes serão utilizados para cobrir as despesas do Festival e na reedição do mesmo.
      Todos os potenciais participantes podem remeter uma breve apresentação da(s) proposta(s), explicando de que modo esta(s) se insere(m) no âmbito do Festival Internacional de Teatro Anarquista, incluindo nas respectivas propostas, o cenário completo, uma breve biografia, um DVD ou um clip de vídeo de uma parte ou um link para uma página web, críticas dos vossos trabalhos e das vossas exigências técnicas.
      Os interessados deverão preencher o formulário nesta ligação:
      http://anarchistetheatrefestival.com/assets/doc/miatf-application-form-2011-en.doc
      e enviá-lo, o mais rápido possível, para o seguinte endereço eletrónico:
      anarchistefestival@yahoo.ca
      ou por correio para:
      Montreal International Anarchist Theatre Festival
      C.P. 266, Succ. C Montreal, QC H2T 4K1, Québec, Canadá
      Mais info em http://anarchistetheatrefestival.com/  

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

The Alarm

      Num dia assim como o de hoje mas do ano de 1884, saía em Chicago (EUA) o primeiro número do jornal anarquista “The Alarm” da “International Working People's Association”.

      Foi editado inicialmente por Albert Richard Parsons e a sua companheira Lucy até ao ano de 1886, altura em que Albert Parsons foi preso e executado, ficando a publicação a cargo do anarquista Dyer D. Lum que, ajudado por Lizzie Holmes, assegurará a publicação durante mais alguns anos.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A Plebe # 48 - Novembro

      “A Plebe” é o boletim informativo do Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Campinas (Brasil) e já está pronto para ler/descer o último número (o 48), relativo a este mês de novembro de 2010, na seguinte ligação:

      http://fosp.anarkio.net/aplebe.html
      Podes ver e descer não só a última edição como também as anteriores.
      Neste número, o primeiro artigo começa assim: «Em todo mundo avançam a ganância e ambição, ampliando a guerra de classes e fazendo milhões de pessoas em todo o mundo vítimas dessa estupidez sem limites.»
      Mais info na coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “Sindicato Campinas SP Br”.


terça-feira, 2 de novembro de 2010

Os Pacotes Gregos

      Hoje mesmo a polícia grega anunciou ter encontrado 5 pacotes bomba armadilhados, com destino às embaixadas do Chile, Suíça, Bulgária, Rússia e Alemanha.

      Os destinados às representações do Chile, da Bulgária e da Alemanha foram desativados e os destinados às representações da Suíça e da Rússia explodiram, não causando vítimas.
      A polícia grega desativou ainda outros dois pacotes no aeroporto de Atenas, com destinos à Europol, na Holanda, e ao Tribunal Europeu de Justiça, no Luxemburgo.
      Na Alemanha foi desativado um outro pacote, na chancelaria, destinado a Ângela Merkel, afirmando-se que o pacote tinha origem na Grécia, tendo sido enviado dois dias antes.
      De acordo com fonte policial, os pacotes continham livros e estes continham os artefactos explosivos camuflados.
      Anteriormente, havia já a polícia grega detetado outros pacotes destinados às embaixadas do México, da Holanda e da Bélgica, bem como um pacote destinado ao presidente francês Nicolas Sarkozy.
      A embaixada de Portugal em Atenas foi esta tarde evacuada, devido a um pacote suspeito deixado junto à porta de entrada.
      A polícia grega diz estar focada na hipótese de a autoria pertencer a um único grupo mas os investigadores policiais dizem ainda ser difícil apontar uma organização concreta, num país com tanto ativismo contestatário.
      Segundo Theodoros Papatheodorou, professor de criminologia na Universidade do Peloponeso, estes atos seriam essencialmente simbólicos pretendendo apenas "chamar a atenção da opinião pública a nível europeu" e "denunciar a crise" que castiga o continente e especialmente a Grécia.
      Entre os quatro pacotes intercetados esta segunda-feira, dois foram descobertos em agências de entregas expresso, e outros dois em posse de dois indivíduos que foram detidos imediatamente, sendo um deles um estudante de química, com 22 anos. Afirma-se que ambos os indivíduos estavam armados.
      E assim têm os mass media vindo a colar estes pacotes bomba a outras ações em Atenas, tudo colando a grupos que classificam de extremistas anarquistas e/ou de esquerda.