quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Manifestação Geral


      Por toda a Europa decorreram ontem manifestações de trabalhadores organizados (sindicalizados) manifestando o seu desagrado para com as imposições estatais que os prejudicam em concreto, de forma a pagarem a crise que outros criaram e com a qual se beneficiaram.


      Como sempre, aqueles que detêm menores recursos financeiros, menores acessos aos corredores do poder, menores conhecimentos e literacia, enfim, menor poder, são esses os que sempre e desde sempre pagam as loucuras dos outros, poucos, que à custa deles vivem, como parasitas incómodos, como pulgas sugadoras de sangue em que os trabalhadores as sentem apenas como uma comichão, e coçam, coçam e coçam, até fazer ferida, mas nunca se livram delas, continuam as pulgas a sugar e não é só uma comichão que provocam mas uma infecção, são uma peste que urge purgar.



quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Guerrilha Anti-fascista

      A imagem abaixo é a de um grupo “Maquis” de guerrilha anti-fascista, em La Tresorerie, em 14 de Setembro de 1944, ma cidade francesa de Bolonha.

      Os “Maquis” resistiram às ocupações dos nazis (alemães) e dos franquistas (espanhóis) em diversos pontos da Europa, na primeira metade do século XX.
      No sudoeste francês algumas células “Maquis” eram inteiramente compostas de veteranos da Guerra Civil Espanhola e muitos destes eram anarquistas.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Censura Moçambicana

      Os recentes acontecimentos em Moçambique (no início deste mês), de revolta espontânea da população, manifestando o descontentamento com o poder governamental que não respeitou os interesses da população mais carenciada, teve como resultado violentas ações de rua (com 13 mortos) que paralisaram a capital moçambicana (Maputo) e vieram, por fim, a fazer retroceder o governo nas medidas que havia tomado, sendo uma vitória popular; estes acontecimentos tiveram origem (e continuidade) com mensagens de telemóvel (SMS) divulgadas a todos os utilizadores, de forma anónima.

      Na sequência dos acontecimentos, o governo moçambicano acabou por bloquear o envio de mensagens de telemóveis de forma a conter as manifestações, tendo as operadoras do serviço móvel alegado então que teriam tido problemas técnicos., nunca se admitindo a intervenção estatal.
      Agora, o ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique, Américo Muchanga, veio a público anunciar o fim dos cartões pré-pagos (recarregáveis) anónimos, isto é, em que se desconhece a identidade do utilizador, pelo que todos os moçambicanos que tenham cartões telefónicos sem identificação deverão obrigatoriamente registar-se, com bilhete de identidade e certificados de residência ou outros documentos válidos, bem como preencher um formulário já disponível, tudo até ao próximo dia 15 de Novembro, data após a qual, os números não identificados serão bloqueados.
      O ministro diz que a medida pretende “garantir proteção dos utilizadores e segurança das pessoas no geral, assim como de instituições que têm estado a ser roubadas e burladas com base no uso de cartões pré-pagos das duas operadoras móveis”, nunca se referindo ao acontecimentos deste mês, concluindo ainda que esta medida é “irreversível”.
      Dados governamentais indicam que 27% dos 21 milhões de moçambicanos usam serviços de telefonia móvel, isto é, cerca de 5 a 6 milhões de moçambicanos.


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Bomba em Buenos Aires

      Uma bomba explodiu na madrugada do passado dia 16 num bairro comercial da capital argentina causando danos materiais nos escritórios das companhias aéreas “American Airlines” e “Alitalia”.

      Nas imediações foram encontrados panfletos assinados pelo grupo anarquista chileno “Teodoro Suárez” exigindo "a libertação de presos políticos e a autonomia dos territórios do povo Mapuche".
      Nos últimos meses, grupos anarquistas chilenos assumiram diversos atentados com bombas artesanais em Buenos Aires que causaram destroços, essencialmente, em escritórios e bancos.

domingo, 26 de setembro de 2010

Votar

      «Votar é como cagar de pernas pó ar.»

      Assim se pode ler nas paredes de algumas ruas, conforme ilustram as duas fotografias que seguem.
      Repara que as imagens têm uma seta que indica o caminho da merda do voto, no sentido de indicar que comemos a nossa própria merda que votamos.


sábado, 25 de setembro de 2010

Eleições no Brasil

      Fernando Evaldo Oliveira Silva é um humorista brasileiro que usa o pseudónimo de “Tiririca” e é candidato pelo Estado de São Paulo a um lugar como deputado federal, no entanto, o candidato parece ser a personagem Tiririca e não o cidadão Fernando.

      O slogan do candidato é: «Vote Tiririca, pior que tá não fica».
      A personagem candidata afirmou não saber nem fazer qualquer ideia do que faz um deputado federal e diz que a sua intenção é ajudar os mais necessitados e também a sua família.
      Este «fenómeno Tiririca», que de acordo com o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), lidera intenções de voto, despertou a reação de alguns partidos políticos que se sentem prejudicados e consideram ilegal a estratégia do humorista de fazer campanha escondendo-se atrás de uma personagem fictícia.


      A seguir reproduzem-se alguns dos comentários lidos na Internet relativamente a esta candidatura e que ilustram a opinião geral.

– «Mais vale encher Brasília de palhaços do que de ladrões»
– «Eu sempre votei nulo mas nessa eleição vou votar no Tiririca»
– «Cada povo tem o governo que merece»
– «Tiririca sabe ler e escrever?»
– «Esse cara vai ganhar»
– «Que país de merda é o Brasil, podre e analfabeto»
– «Grandessíssimo filho da puta desgraçado, tá achando que a profissão de deputado federal é coisa pra palhaço. Não é, vai pró inferno de onde você deve ter vindo»
– «Pelo menos ele assume que é palhaço»
– «Pior são os engravatados que enrolam o povo com discursos cheios de palavras bonitas e promessas vazias e depois colocam nariz de palhaço na gente»
– «Tá na hora de colocar um palhaço de verdade em Brasília»
– «Em 2014 Tiririca para presidente!»

      Vê o vídeo abaixo com alguns anúncios de campanha.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Cinema na Casa Viva

      Hoje às 22:00 horas decorre mais uma projeção de película com entrada livre, organizada pelo GAP, Grupo de Ação pela Palestina, na Casa Viva.

      Trata-se de um documentário produzido em 2009 nos EUA e Canadá, em inglês, com a duração de 89 minutos, denominado: “American Radical. The Trials of Norman Finkelstein”.
      Este documentário aborda a figura controversa do académico Norman Finkelstein e questões fundamentais relativas à identidade, à justiça social, à liberdade e ao ativismo, sob um olhar acutilante sobre as questões do Médio Oriente que pontuaram o final da segunda guerra mundial até aos nossos dias e que nos leva dos EUA, a Israel, ao Líbano, à Palestina, à Alemanha e ao Japão.
      Norman Finkelstein é descendente de sobreviventes do Holocausto e os seus trabalhos trouxeram-lhe tanto a fama e o respeito, como a censura e a repressão. Publicou vários livros sobre o conflito do Médio Oriente e estará no Porto no próximo dia 30 de Setembro.
      Mais sobre Norman Finkelstein em: www.normanfinkelstein.com  
      Sobre os realizadores: www.davidridgen.com e www.barakaproductions.com
      A Casa Viva está na Praça Marquês de Pombal, no nº. 197, no Porto (Portugal).
      Mais info em: http://casa-viva.blogspot.com e http://radiocasaviva.blogspot.com e sempre com ligações na coluna dos “Sítios a Visitar”.


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Boletim Anarco-Sindicalista nº. 36

      Está disponível para descarregar o último Boletim Anarco-sindicalista, o nº. 36, correspondente aos meses de Julho a Setembro.

      Este boletim é editado pela Secção Portuguesa da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT) e está disponível no sítio desta associação cuja ligação está disponível na coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “A.I.T. - Sec. Portuguesa” ou diretamente na seguinte ligação ao ficheiro http://www.freewebs.com/aitbas/bas/BAS_36.pdf

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Greve de Fome de Presos Mapuches

      Enquanto se resgatam os mineiros enterrados no Chile, não se presta atenção a outras situações, também trágicas, nesse país.

      No sul do Chile e ainda na Argentina, existe um povo ancestral chamado “Mapuches” que, no seu idioma, o Mapudungun, significa “a gente da Terra”. O território deste povo abarcava boa parte do Chile e da Argentina, estando estes dois Estados a arrebatar, durante séculos, as terras ancestrais deste povo, por conquistas, expropriações e burlas, empurrando-os para um pior território.
      Para além da terra-território, o povo Mapuche foi também perdendo a sua cultura, a sua forma de organização comunitária, o seu idioma e a sua religião. O povo foi relegado à pobreza, ao racismo e à exclusão.
      Na concessão espiritual deste povo há um laço estreito entre a Natureza e a comunidade mas os Estados, as multinacionais e os proprietários de terras, estão a contaminar e a sobre explorar a terra deste povo que também, na sua história, foi rebelde por amar a liberdade, tendo se sublevado em diversas ocasiões contra os seus opressores, sendo sempre fortemente reprimidos com assassinatos, execuções, prisões e torturas.
      Os presos, oriundos deste povo Mapuche estão acusados de terrorismo contra o Estado Chileno e encarcerados por defenderem o seu povo e território de vida, tendo completado 78 dias de greve de fome por, como dizem: «La dignidad, por la justicia, por un juicio justo y final de la ley antiterrorista.»


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Jornadas Culturais de Outono

      Começam já amanhã (22 de Setembro) as Jornadas Culturais de Outono, organizadas pelo sindicato da CNT de Fraga e do Centro de Estudios Libertarios José Alberola, enquadradas na comemoração do centenário da CNT.

      Durante cerca dos próximos três meses decorrerão diferentes actos, entre eles, a conferência/colóquio de ICEA (Instituto de Ciências Económicas e de Autogestão) a cargo de Lluís Rodríguez, sob o título de “Crisis Económica e impacto sobre los/las trabajadores/as en el Estado Español”, na qual se analisarão os efeitos da crise no conjunto de medidas regressivas aplicadas às camadas mais populares do Estado espanhol, este acto ocorrerá na P. Montcada de Fraga (Huesca - Espanha) às 8 da tarde da sexta 29 de outubro.
      Mais info na seguinte ligação:
http://iceautogestion.org/index.php?option=com_content&view=article&id=285%3Aotono-cultural-y-libertario-de-cnt-fraga-&catid=19%3Anoticias&lang=es


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Feira do Livro de Santiago de Compostela

      No passado fim-de-semana (de 9 a 11) decorreu a 1ª Feira do Livro Anarquista de Santiago de Compostela, na Galiza (Espanha).

      Durante os três dias do evento houve sempre uma boa presença de público num ambiente muito agradável.
      Assistiram companheiros da AIT do Porto e de Lisboa e distribuidoras como “Corsárias”, FIJA (Federação Ibérica de Juventudes Anarquistas), União Libertária do Ferrol, editora Estaleiro, Aldarull de Barna, a FAL (Fundação Anselmo Lorenzo), editora Praxe de Compostela e a CNT de Compostela, que organizou a Feira.
      Logo no primeiro dia (quinta-feira 9), com um numeroso público, o companheiro Eliseo Fernández apresentou "O atraso político da Galiza", último livro de Félix Rodrigo Mora, editado pela União Libertária de Ferrol, que nos explicou o porquê da obra, que faz uma dura crítica às teses de Xosé Manuel Beiras, desenvolvidas no seu livro e que tanta transcendência tiveram no pensamento político posterior, nomeadamente no nacionalismo e que precisam de uma profunda revisão, para que se recupere uma nova perspectiva libertária.
      No segundo dia (sexta-feira 10), o companheiro Xavier Valle apresentou diante de mais de cinquenta pessoas o livro comemorativo do centenário da CNT "Cien imágenes para un centenário", editado pela FAL. Através de imagens o companheiro fez um percorrido pela história do anarco-sindicalismo mesmo antes da existência da CNT, com a chegada de Fanelli ao Estado espanhol e a criação da 1ª Internacional, depois passou a contar-nos as múltiplas vicissitudes pelas quais teve que atravessar a organização, a criação do "Solidaridad Obrera" em Barcelona, o Congresso de fundação da CNT, a organização dos Sindicatos únicos, a época da República, a Revolução social e a guerra civil, a repressão posterior, a guerrilha urbana e rural, o relançamento da CNT após a morte de Franco, os encontros de Monjüic e Sebastián de los Reyes, o caso Scala, até chegarmos à atualidade.
      No terceiro dia (sábado 11), à tarde, pois a maior parte do público quis assistir à manifestação do setor florestal da CNT, Miguel, da editora de Barcelona Aldarull, também com a presença de numeroso público composto por mais de cinquenta pessoas, fez a apresentação da obra coletiva "La Comuna de los Balcanes. Los levantamientos de Macedonia y Tracia de 1903". O companheiro relatou o conteúdo da obra que trata os levantamentos anarquistas nesta região tão próxima, mas tão esquecida pelo Ocidente.
      Mais adiante, a Sociedade Secreta “La Felguera” apresentou, às 18 horas, uma das suas últimas edições: "Motherfuckers! De los veranos del amor al amor armado", obra polémica de caráter contra-cultural, onde se narra os acontecimentos vividos na década dos anos 60 e 70 nos Estados Unidos por parte dos “Moterhrfuckers”, organização libertária que criou grandes problemas à polícia estadunidense e que foi a origem de algumas outras organizações e contemporânea de alguns grupos mais conhecidos por como os “Black Panters”.
      Mais tarde, às 20 horas, realizou-se uma mesa redonda onde a FAL, Aldarull, La Felguera e Estaleiro, apresentados pelo companheiro Martim de Compostela, questionaram diversas atuações da edição e distribuição do mundo alternativo libertário, esta mesa redonda também foi seguida com muito interesse por parte do público que assistia à Feira, pois são problemas quotidianos.
      Por fim, ainda escutamos o violino do companheiro Brais para finalizar esta primeira feira.
      Para mais info e imagens segue a ligação da coluna dos “Sítios a Visitar” com a denominação de “CNT Galiza”.


domingo, 19 de setembro de 2010

O Estado e a Vida

      «O Estado é onde todos bebem veneno, os bons e os maus; onde todos se perdem a si mesmo, os bons e os maus; onde o lento suicídio de todos se chama "a vida".»

      Friedrich Nietzsche, (1844-1900) in “Assim Falou Zaratustra”

sábado, 18 de setembro de 2010

Oração a Nª. Srª. do Supermercado

Oração para usar nas procissões aos “shoppings”:

Salvai ó Virgem do Hipermercado,
Fonte natural de riquezas,
O meu estatuto da inveja
E da ganância dos outros consumidores.

Fazei com que a mercadoria,
Espalhada pelos caminhos das vendas,
Pela mão da publicidade
Me conduza a cada nova compra.

E que a crise não multiplique o perigo
Dos milhões de explorados
Para que o meu cartão Visa
Se perpetue para sempre.




sexta-feira, 17 de setembro de 2010

A "Outra Campanha"

      No próximo dia 19-09-2010 (domingo), em São Paulo (Brasil), pelas 16:00 horas (na “Ay Carmela”, sita na Rua das Carmelitas 140, próximo do metro Sé. Tel. 3104.4330) será lançada a “Outra Campanha”.

      A “Outra Campanha” começou no México, a partir do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN), com a proposta de construir o poder popular autonomamente, sem partidos, sem patrões e de forma organizada.
      No Brasil, a “Outra Campanha” começou também a partir de organizações autónomas e de luta, com o propósito de se tornar um grande passo para a articulação e luta do poder popular.
      Já foi lançada e está sendo construída em Porto Alegre, Rio de Janeiro, Dourados, Maceió, e outras cidades.
      A proposta é a de fazer política de uma outra forma, feita desde baixo, por todos aqueles que sentem diariamente as dores de se viver numa realidade de injustiça, dominação, miséria e discriminação, mas também sentem esperança e força de vontade para mudar desde agora as condições que nos cercam e as relações que nos tocam.
      A “Outra Campanha” acredita que a política tem que ser feita e discutida pelo povo, e não deve ficar a cargo de pessoas que se dizem especialistas ou políticos que prometem melhorias. Pretende-se recuperar a dignidade das pessoas que sofrem por uma promessa que não foi cumprida, por uma decisão e um caminho que foram tomados sem a consulta do povo, sem respeitar a particularidade dos povos.
      O objetivo é ainda que a “Outra Campanha” vá além do período eleitoral, discutindo a democracia burguesa representativa e seus mecanismos institucionais, acreditando que as nossas urgências não cabem nas urnas.
      Vê a ligação na coluna dos “Sítios a Visitar”, sob a denominação de “Outra Campanha”.


quinta-feira, 16 de setembro de 2010

A Energia Suja do "Facebook"

      A “Greenpeace” acaba de iniciar uma campanha, que faz parte da sua campanha global denominada “Coal IT”, na qual pede aos gigantes das tecnologias de informação para se tornarem também gigantes da protecção climática.

      O sítio “Coal Facebook” informa sobre a campanha, designadamente, afirmando que o “Facebook” está a ir numa direção contrária à proteção ambiental, designadamente, quando, recentemente, optou por operar o seu “data center” de Prineville, no Estado de Oregon (EUA), com energia da Pacific Power, uma central alimentada a carvão.
      O diretor da “Greenpeace”, Kumi Naidoo, já escreveu a Mark Zuckerberg, criador do “Facebook”, a pedir para este se comprometer com um plano para descontinuar o uso daquele tipo de energia, mas ainda não obteve resposta.
      Mais de 500 mil utilizadores do “Facebook” já se juntaram ao protesto da “Greenpeace”.
      Vê o vídeo abaixo que começa assim: "Era uma vez uma escola, e nessa escola havia um rapaz muito inteligente. O seu nome era Mark Zuckerberg. O Mark queria ter amigos".
      Este vídeo, que acaba de estrear nos E.U.A., foi produzido pela “Greenpeace” e reinventa o filme "The Social Network".
      O sítio da campanha “Coal Facebook” fica na seguinte ligação:
      http://www.greenpeace.org/international/en/campaigns/climate-change/cool-it/ITs-carbon-footprint/Facebook/


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O Caso de Diego

      Na capital espanhola (Madrid), Diego trabalhava na “H&M” até ter sido forçado a assinar “voluntariamente" a sua demissão, o que o priva de qualquer direito a uma indemnização. Diego, que trabalhou dois anos na loja sendo reconhecido como um assalariado "sem problemas", foi constrangido sob pressão psicológica da sua direção a assinar a sua própria carta de demissão.

      E Porquê? Para economizar à custa dos assalariados, ao mesmo tempo de amedronta os demais, dando-lhes um exemplo e fazendo-os compreender a sua "sorte" nestes tempos de "crise", fazendo-lhes ver que não têm vantagem alguma em queixar-se.
      Esta crise, durante a qual empresas como a “H&M” continuam a obter lucros monstruosos (para a “H&M” 1,3 mil milhões, no primeiro semestre e com um aumento de 22% no primeiro trimestre), é paga pelos trabalhadores de Madrid e de todo o mundo com os despedimentos, com a precariedade e por vezes com a própria vida.
      Diego decidiu não permanecer só face ao seu empregador. Juntamente com outros colegas e com companheiros da CNT-AIT decidiu não se deixar ficar e contra-atacar. Foram organizadas ações de protesto em frente da loja e de outras da mesma cadeia, para exigir a sua reintegração na empresa, com o reconhecimento de todos os seus direitos.
      Uma corrente de solidariedade internacional está em vias de se iniciar, outros piquetes de protesto tiveram lugar em frente de outras lojas da mesma cadeia, em Espanha, na Polónia e em França.
      É necessário ter presente esta solidariedade, porque um ataque contra um de nós deve ser encarado como um ataque contra todos. Hoje é Diego que é atacado, amanhã serás tu; seremos nós.
      A solidariedade é a nossa arma.
      (Tradução livre e sintética de um artigo publicado em http://cnt-ait.info da secção francesa da AIT)


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Quanto é 2.340 euros?

      Dois mil, trezentos e quarenta euros não é o valor de um vestido de altacostura; é o preço de uma vida humana.

      É o preço de uma vida humana?
      Sim!
      No passado dia 21 de Fevereiro, pela terceira vez em menos de um ano, um incêndio "acidental" eclodiu na empresa têxtil “Garib e Garib”, em Dhakka, no Bangladesh.
      Já em Agosto de 2009 duas pessoas tinham morrido nesta mesma empresa devido a um primeiro incêndio. Em Fevereiro de 2010, foram 50 os trabalhadores que ficaram gravemente feridos e 21 os que morreram noutro incêndio.
      A ocidental multinacional “H&M” é a principal cliente da “Garib e Garib” e, perante a indignação internacional suscitada por este drama, sentiu-se obrigada a fazer um gesto e, pomposamente, a “H&M” atribuiu às famílias das vítimas 2340 euros de "compensações". Eis o preço da vida de um trabalhador para a “H&M”.
      Este género de "acidente" é frequente no Bangladesh. São incontáveis os mortos carbonizados nas suas fábricas, porque os patrões encerram os trabalhadores nas oficinas. Estes incêndios têm frequentemente por origem uma instalação elétrica defeituosa, sem manutenção, e uma ausência de medidas de segurança elementar nos locais de trabalho.
      Para quê investir milhões em segurança com um tão baixo preço da vida humana? Sobretudo quando se acaba de saber que a “H&M” pagou tão-só 60 (Sessenta) euros de impostos sobre as suas sociedades em 2008, num país onde se abastece em grande escala.
      Os têxteis representam 80% das exportações anuais do Bangladesh e as suas fábricas empregam 40% da mão-de-obra industrial do país, na maior parte feminina.
      O salário médio é de cerca de 20 (Vinte) euros por mês.
      Em Abril, o governo comprometeu-se a aumentar os salários mas um grupo de proprietários de 4500 fábricas conseguiu fazer limitar os salários a 23 euros.
      Os operários do Bangladesh começam a estar fartos de ser os "fusíveis" da indústria têxtil e nos últimos meses as revoltas vêm-se multiplicando. Violentos movimentos de protesto, envolvendo dezenas de milhares de operários dos têxteis e levaram ao encerramento de 700 fábricas que fornecem as maiores marcas ocidentais de vestuário.
      No passado dia 19 de Junho, cerca de 50.000 trabalhadores dos têxteis que se manifestavam pelo aumento dos salários saquearam várias fábricas na zona industrial a norte da capital Dhakka e bloquearam estradas. A polícia reagiu, ferindo mais de 100 operários mas, curiosamente, os nossos media não tocaram no assunto, muito preocupados que estavam com os assuntos milionários do Mundial de Futebol.


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Mensagem a Alunos e Professores

      No dia de hoje, em Portugal, tem início (de uma forma mais generalizada) um novo ano escolar e, tendo em conta este acontecimento, é apropriado e a seguir se reproduz uma mensagem que Albert Einstein dirigiu a alunos e professores:

      «Lembrai-vos de que as coisas maravilhosas que ireis aprender nas vossas escolas são a obra de muitas gerações, levada a cabo por todos os países do mundo, à custa de muito entusiasmo, muito esforço e muita dor. Tudo é depositado nas vossas mãos, como uma herança, para que a aceitem, honrem, desenvolvam e a transmitam fielmente um dia aos vossos filhos. Assim nós, embora mortais, somos imortais nas obras duradouras que criamos em comum. Se tiverem esta ideia sempre em mente, encontrarão algum sentido na vida e no trabalho e poderão formar uma opinião justa em relação aos outros povos e aos outros tempos.»
      Citação de Albert Einstein, in “Como Vejo o Mundo”
      Albert Einstein (1879-1955) foi um físico teórico alemão radicado nos E.U.A. que, em 2009, um grupo de 100 físicos de renome do Mundo, o elegeu como o mais memorável físico de todos os tempos. Ficou popularmente conhecido, para além da fotografia abaixo, pela sua Teoria da Relatividade e o desenvolvimento da energia atómica.


domingo, 12 de setembro de 2010

Correr Mais

      «A melhor maneira de sermos seguidos é correr mais do que os outros.»

        Francis Picabia
        Pintor francês (1879-1953)

sábado, 11 de setembro de 2010

Despedimentos por SMS

      Uma fábrica de calçado (Pinhosil, em Arouca, Portugal) despediu os seus 18 trabalhadores, no final do mês de agosto, num fim de semana, com uma mensagem escrita para os telemóveis dos trabalhadores.

      Dizia assim a mensagem: «A partir de segunda-feira a empresa vai fechar. Vão receber a carta para o desemprego».
      A mensagem não estava assinada nem provinha de um telefone conhecido.
      A fábrica tinha dois patrões, ambos ex-operários, e os trabalhadores dizem que eram mal tratados, que os patrões faziam o que queriam com eles e já não pagavam os ordenados desde Julho mantendo-se ainda em dívida os subsídios de Natal e de férias.
      Deonilde Soares já trabalhava há oito anos para os mesmos patrões, primeiro na anterior empresa “Pinho Oliveira” e agora na “Pinhosil”, e diz, com revolta: «Quando recebi a mensagem fiquei em estado de choque. Não estava a contar com aquilo porque sempre tivemos trabalho, dávamos horas a mais e entregávamos as encomendas a tempo».
      Paula Moreira, embora mais serena, não aguenta as lágrimas e diz: «Fiquei desesperada. Não sei o que vai ser da minha vida, porque tenho três filhos e o meu marido também está sem ganhar há muito tempo». Mas o que mais chocou esta trabalhadora foi a “insensibilidade” dos proprietários da fábrica ao optarem por uma mensagem escrita e explica: «Eram meus colegas antes de serem meus patrões e nunca esperei isto deles. Fiquei muito desiludida e muito triste. Não sei como vai ser quando passar por eles na rua».
      Deonilde, à porta da fábrica, numa concentração de protesto com as demais trabalhadoras acrescenta: «O patrão passou aqui de carro, não parou e nem olhou para nós. Fez como se não fôssemos ninguém».


sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Regueirão dos Anjos nº. 69

      No número 69 da Rua Regueirão dos Anjos, em Lisboa (Portugal), existe um espaço de convívio e partilha, alternativo, que já albergou e continua a albergar diversas iniciativas e coletivos, depois de ter sido um espaço industrial onde se biselava o vidro.

      Abaixo fica a programação deste espaço para este mês de Setembro.
       - dia 12: A revolução nunca existiu?
       - dia 16: Jantar popular do G.A.I.A.
       - dia 19: Ocupações selvagens
       - dia 23: Jantar popular do G.A.I.A.
       - dia 24: Festa da massa crítica
       - dia 26: A insurreição que vem
       - dia 30: Jantar popular do G.A.I.A.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Companheiros Presos na Bielorrússia

      Termina hoje o segundo período de prolongamento da prisão dos sete companheiros presos na passada sexta-feira, dia 3, na Bielorrússia.

      Inicialmente ficariam presos por 3 dias mas foi decretado um prolongamento por mais 3 dias, sendo que naquele país a legislação permite estes prolongamentos de detenção até um máximo de 10 dias, sem qualquer acusação.
      Tudo começou por volta das 6 horas da manhã, do passado dia 3, tendo as forças policiais bielorrussas entrado nos apartamentos dos 7 companheiros, trajando à civil.
      Na ação, a polícia apreendeu 5 computadores e 2 laptops, telefones, dinheiro, cartazes e revistas.
      Os detidos foram levados para um posto policial e aí interrogados sobre um atentado à embaixada da Rússia, no dia 30 de agosto, onde dois coquetéis molotov foram arremessados contra o prédio diplomático russo e um carro foi incendiado.
      Não houve feridos durante a ação e um grupo que se auto denomina "Amigos da Liberdade" assumiu o ataque publicando uma nota no site http://belarus.indymedia.org.
      Na imprensa local há notícias de que no apartamento foram ainda apreendidas máscaras (passa-montanhas), munições, literatura anarquista e drogas vegetais.
      Os ativistas presos são: Ígor Bogachek, Valéria Khótina, Serguei Sliusar, Nikolai Dedok, Aleksei Jingueróvski, Aleksandr Frantskévitch e Anton Lapténok.
      Os amigos e parentes dos detidos acabam de publicar o seguinte comunicado:
      «Na noite de 7 setembro, em alguns sítios de órgãos informativos locais apareceu a informação sobre a apreensão de munição, drogas, passa-montanhas e literatura anarquista no apartamento dos nossos companheiros.
      Nós, os amigos dos presos, com toda a convicção afirmamos que esta informação não passa de uma mentira descarada, uma tentativa de apagar a solidariedade da sociedade com os presos, transformando os ativistas em criminosos ou pessoas transtornadas e antisociais.
      Chamamos a atenção para o facto de que a informação sobre os nossos companheiros mudar a cada dia que passa. Primeiro, foram acusados de atacar a embaixada da Rússia, agora acusam-nos de danificar o Banco da Bielorrússia e a Casa dos Sindicatos em Minsk, no dia 30 de agosto. Qual será a próxima acusação?
      Também não compreendemos como passa-montanhas ou "literatura que propaga o ideário anarquista" pode ser uma prova do envolvimento dos nossos amigos com os ataques ao banco e à Casa dos Sindicatos. Exigimos provas factuais. Exigimos que divulguem quem especificamente está sendo acusado de tráfico de drogas.
      Temos a certeza de que nenhum dos presos podia ter alguma relação com o tráfico, pois não usavam e não guardavam os narcóticos. Estas pessoas praticam um modo de vida consciente e saudável, praticam desporto, estão envolvidos com a autogestão nas universidades, participam dos conflitos nas fábricas, interessam-se pelos problemas ecológicos, direitos humanos e livre acesso à informação.
      Pensamos que a causa das suas detenções é justamente as suas ideias e também o facto deles se preocuparem com os problemas da sociedade e não temerem expressar a sua opinião publicamente, contrária à oficial. Justamente por causa desta postura eles foram fichados pela polícia e não por aquilo de que os acusam.
      Exigimos a imediata libertação dos presos.
      Amigos e parentes dos presos.
      Contacto: minsksolidarity@riseup.net»


quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Sindicalismo e Movimentos Sociais

      Está disponível para baixar o caderno “Sindicalismo e Movimentos Sociais”, elaborado pelo Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Campinas (SP-Brasil), o qual, em 28 páginas, aborda os seguintes assuntos:

    - Sindicalismo e movimentos sociais,
    - Breve histórico do sindicalismo no Brasil,
    - Sindicatos hoje,
    - Reconstrução da COB,
    - Práticas sindicais e
    - Sindicalismo revolucionário e movimentos sociais.
      Vê e/ou baixa na seguinte ligação:
      http://cob-ait.net/pdf/caderno_002rapid.pdf

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O que sabe a Google de ti?

      Está a ser exibido um anúncio em plena “Times Square”, Nova Iorque (EUA) que critica a noção de privacidade do patrão da Google (Eric Schmidt).
       A exibição está a cargo de uma organização norte-americana dedicada à defesa do consumidor (Consumer Watchdog).
       No vídeo em causa, que já foi divulgado no “YouTube” e que abaixo podes ver, o patrão da Google encarna um vendedor de gelados que oferece gelados a um grupo de crianças enquanto lhes faz um scan corporal para recolher os dados pessoais através do “Google Analytics”.
       O vídeo que está a ser transmitido em “Times Square” é uma versão mais curta do vídeo original e está a passar 36 vezes por dia na famosa praça de Nova Iorque, no âmbito da campanha nacional da Consumer Watchdog, para promover uma iniciativa que dá pelo nome «Do Not Track Me».
      Este vídeo é visto pela organização como uma resposta às declarações de Eric Schmidt sobre a privacidade, nomeadamente quando defendeu recentemente que os jovens deviam ter o direito a mudar de nome para protegerem a sua reputação, devido à quantidade de informação pessoal que publicam on-line.
 
      Hoje em dia, a Google detém todas as aplicações que a seguir se relacionam e de certeza que, pelo menos em uma delas, estás registado e utilizas diversas outras.
Serviços online
  Google Search - Ferramenta de busca universal, principal serviço do Google 
  Google Images - Busca de imagens 
  Google News - Busca de notícias 
  Google Code Search - Busca de aplicativos de código aberto 
  Google Scholar - Busca de artigos académicos 
  Google Books - Busca de livros digitalizados 
  Google Health - Busca de artigos na área da saúde 
  Google Microsoft Search - Busca de conteúdo produzido para Windows 
  Google Mac Search - Busca de conteúdo produzido para Mac 
  Google Linux Search - Busca de conteúdo produzido para Linux 
  Google BSD Search - Busca de conteúdo produzido para BSD 
  Google Docs - Pacote de aplicativos online. Inclui editores, partilhadores de texto, etc.
  iGoogle - Portal de conteúdo com widgets e miniaplicativos personalizáveis. 
  Google Product Search - Pesquisa e comparação de preços. 
  Google Answers - Serviço para colocar perguntas e obter respostas
  Google Groups - Aplicativo para postagem e leitura em grupos de notícias Usenet. 
  Orkut - Rede social
  YouTube - Repositório de vídeos. 
  Blogger - Ferramenta para construção de blogs. 
  Google Calendar - Agenda eletrónica online. 
  Gmail - Serviço de correio eletrónico. 
  Picasa Web - Partilhamento de fotos. 
  Google Maps - Visualizador de mapas e rotas, para todo o mundo.
  Google Page Creator - Serviço de desenvolvimento e hospedagem de páginas Web. 
  Google Code - Repositório de aplicativos de código aberto. 
  Google Reader - Aplicação para leitura de feeds RSS. 
  Google Translate - Serviço de tradução de textos e sites da Internet. 
  Google Voice - Serviço telefônico. 
  Google Buzz - Serviço de microblogging e outros
Serviços online comerciais
  Google Apps - Suíte de ferramentas corporativas para partilha de documentos. 
  Google AdSense - Publicidade online, através de links patrocinados.
Aplicações para desktop 
  Google Talk - Comunicador instantâneo. 
  Google Chrome - Navegador Web. 
  Google Earth - Visualizador avançado de mapas para qualquer ponto do mundo. 
  Google Toolbar - Barra de ferramentas com atalhos para serviços do Google. 
  Google Desktop - Ferramenta de pesquisa e indexação nos discos locais. 
  Google Web Accelerator - Acelerador de carregamento de páginas Web. 
  Picasa - Gerenciador e organização de fotografias. 
  Google SketchUp - Programa para criação de modelos 3d para o Google Earth
       Que sabe a Google de ti? E que sabes tu dela?

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A Brochura Mensal

      “La Brochure Mensuelle” saiu pela primeira vez, em Paris, em 1923. Esta brochura era um simples panfleto propagandístico, contendo um texto consagrado a determinado tema. No primeiro número continha um texto de Kropotkine.

      Saiu mensalmente durante 190 números divulgando textos de mais de uma centena de autores.
      Nas duas imagens abaixo vemos uma edição dedicada à propaganda anti-eleitoral e ainda uma outra ilustração de uma bola de bólingue derrubando os pinos do casamento, da ignorância, do alcoolismo, do capital, da autoridade, da prostituição, da propriedade, dos exércitos, da religião e da justiça legislativa.



domingo, 5 de setembro de 2010

Fazer as Coisas

      «Além da nobre arte de conseguir fazer as coisas, existe a nobre arte de deixar as coisas por fazer.

      A sabedoria da vida consiste na eliminação do que não é essencial.»
      Lin Yutang (1895-1976)
      Novelista e filósofo chinês.

sábado, 4 de setembro de 2010

Queima o Teu Telefone Móvel / Celular

      Está disponível para baixar uma publicação que apela à queima dos telefones móveis, justificando tal atitude com uma análise a vários aspetos, como o controlo policial (escutas, localização, retenção de dados, etc.) e o controlo social (indivíduo mais sozinho, mais parvo, mais espetador, etc.), debruçando-se ainda sobre outras questões, como a contribuição para o engrandecimento do Capital, etc.

      A publicação está escrita em Castelhano e acessível na coluna dos “Sítios a Visitar” sob a designação de “Quema Tu Móvil” ou, diretamente ao ficheiro em pdf, na seguinte ligação:
      http://quematumovil.pimienta.org/quematumovil.pdf

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Ações Diretas no Chile

      Durante a madrugada de 14 para 15 de agosto ocorreu uma grande operação policial, até com helicópteros da polícia, em Santiago do Chile, na qual se realizaram várias detenções e intrusões em diverss espaços libertários.

      Esta operação veio na sequência das muitas ações com artefactos explosivos na capital chilena, como o que ocorreu a 5 de agosto contra o restaurante “Tierra Noble” e cujo comunicado reivindicativo é o seguinte:
      «Mediante este comunicado reivindicamos el ataque al restorant Tierra Noble ubicado en Av. Nueva Costanera, comuna de Vitacura, el jueves 5 de Agosto a las 19:00 hrs.
      El propósito de esta acción fue atacar la propiedad y el entorno social del manda mas de los usureros de este país, Hernán Somerville. La suerte esta vez estuvo de su lado, por que de lo contrario el festín de los explotadores se hubiera visto truncado por una explosión de embergadura probablemente dejando varios heridos. No tenemos reparo en admitirlo, los burgueses son nuestros enemigos y contra ellos están dirigidos los ataques que los afectan cada vez más en su cotidianeidad. Como pueden ver ya no tienen lugares seguros, ni sus propias vidas se encuentran en este momento seguras.
      La cacería que ha tomado nuevos impulsos por los delirios del fiscal Peña no nos amedrenta en lo absoluto mas aún dándonos cuenta de la curiosa imaginación de este personaje que intenta por todos los medios demostrar algo que solo existe en su perturbada y deteriorada cabeza . Continuamos moviéndonos sin ningún peligro.
      Esta acción es también una muestra de solidaridad para con los presos políticos mapuche en huelga de hambre, la libertad y autodeterminación de su pueblo es inevitable.
      Marcelo Villarroel, Freddy Fuentevilla y Juan Aliste, su encierro solo agudiza más la incipiente guerra social!!!
      Banda Antipatriótica Serverino Di Gionanni»
      Quanto à ação no Bairro Viña del Mar, cujo artefacto explosivo foi desativado, foi publicado o seguinte comunicado:
      «Los perros guardianes de los ricos lo desactivaron, pero el mensaje es claro... estamos en guerra, guerra contra los ricos y el Estado, contra su sistema de explotacion que mercantiliza todo, y contra su sistema de control que buscan domesticarnos.
      Nos reimos en su cara... a pasos de la residencia presidencial atacamos y desaparecimos.
      Un saludo subversivo a los weichafe que resisten en el walmapu!
      Presxs del mundo a la kalle!
      Por la anarquía! Guerra al Estado y el capital!!!»

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

“Workshop” sobre anarquismo

      Decorre desde ontem e até amanhã (1 a 3 de setembro), na Manchester Metropolitan University (Reino Unido) um conjunto de “workshops” sobre teoria política, no qual está previsto um “workshop” concreto sobre anarquismo.
      A organização está a cargo do professor Alex Prichard que é fundador da Anarchist Studies Network.
      Serão apresentadas e discutidas as seguintes comunicações:
      - Alex Prichard: “Proudhon: The Lost Prophet of Paris”
      - Joan Rapp: “Neo-anarchism and the state in the People’s Republic of China”
      - Matt Wilson: “Prefiguration and Anarchist Theory”
      - Ruth Kinna: “Title TBC”
      - Alexandre Christoyannopoulos: “Tolstoy’s Approach to Christianity”
      Este é a 7ª conferência anual sobre Teoria política organizada pela referida universidade.
      Mais info em:
      www.hlss.mmu.ac.uk/polphil/news/article.php?id=343